Treinador de Serena atira-se a árbitro português: "Voltou a ser a estrela"

Treinador de Serena atira-se a árbitro português: "Voltou a ser a estrela"

Patrick Mouratoglou admitiu ter dado indicações a Serena Williams, mas atirou-se às decisões tomadas por Carlos Ramos.

A final feminina do US Open terminou de forma conturbada, com Serena Williams a atirar-se a Carlos Ramos, juiz português, depois de este a ter penalizado por receber conselhos do treinador e partir uma raquete. Logo depois, a tenista norte-americana chamou-lhe ladrão e mentiroso e sofreu um jogo de penalização.

Após a partida, que Serena perdeu para a japonesa Naomi Osaka, o treinador Patrick Mouratoglou admitiu ter dado indicações à sua jogadora, mas afirmou não compreender a decisão do árbitro luso.

"Sou honesto, estava a fazer coaching. Mas ela não estava a olhar para mim, por isso é que achou que eu não estava a fazer. Isso acontece em todos os jogos por parte dos treinadores. O Bajin [treinador de Osaka] também estava a fazer. Este foi o mesmo árbitro da meia-final do Rafa [Nadal]. O camarote dele passou o tempo todo a dar indicações e ele não fez nada", atirou Mouratoglou, que, mais tarde, recorreu ao Twitter para apontar o dedo a Carlos Ramos:

"A estrela do espetáculo voltou a ser o árbitro. É a segunda vez que acontece neste US Open e a terceira vez para Serena na final de um US Opne. Será que os árbitros deviam poder ter esta influência no resultado de uma partida? Quando é que vamos decidir que isto nao pode voltar a acontecer?", atirou o treinador de Serena Williams.