Djokovic só joga em Espanha se "cumprir as normas sanitárias", diz Pedro Sánchez

Djokovic só joga em Espanha se "cumprir as normas sanitárias", diz Pedro Sánchez
Redação com Lusa

Tópicos

Continua a polémica em torno de Novak Djokovic, líder do ranking ATP.

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, assegurou esta segunda-feira que as normas sanitárias são para cumprir e se o tenista Novak Djokovic, expulso da Austrália, quiser jogar em Espanha tem de cumprir as regras em vigor no país.

Pedro Sánchez frisou que qualquer atleta que aspire a competir em Espanha terá de "cumprir as normas sanitárias espanholas".

O chefe do Governo espanhol referiu-se à controversa expulsão de Djokovic da Austrália na conferência de imprensa que deu depois de uma reunião que teve em Madrid com o chanceler da Alemanha, Olaf Scholz.

"Se essas são as normas que o governo australiano aprovou, elas têm de ser cumpridas. Absoluto respeito e apoio às decisões que foram tomadas", acrescentou Pedro Sánchez.

Pela sua parte, o Chanceler alemão precisou que cada país estabelece as suas próprias regras face à pandemia para proteger a saúde dos seus cidadãos, as quais devem ser respeitadas.

"Não importa quem seja", salientou Scholz, sublinhando que a Austrália tem regras que não são, por exemplo, as da Alemanha, mas que são decididas usando a sua soberania e que devem ser aplicadas a todos os que entram no país.

O chanceler alemão concluiu fazendo um apelo: "Por favor, vacinem-se. Ter a vacina de reforço é o melhor que podem fazer por vocês e pelos vossos entes queridos".

Três juízes do Tribunal Federal australiano confirmaram uma decisão tomada na sexta-feira passada pelo ministro da Imigração de cancelar o visto do sérvio Novak Djokovic, que não está vacinado contra a covid-19, por motivos de interesse público.

Uma ordem de deportação inclui também, geralmente, uma proibição de três anos de entrar no país.

O ministro cancelou o visto alegando que a presença de Djokovic no país poderia constituir um risco para a saúde e "ser contraproducente para os esforços de vacinação de outros na Austrália".

Djokovic chegou a Melbourne a 5 de janeiro, com uma isenção médica que lhe permitiria jogar no Open da Austrália sem estar vacinado contra a covid-19, mas o visto foi posteriormente cancelado pelas autoridades alfandegárias.