Nova lei em França poderá permitir que Djokovic participe no Roland Garros

Djokovic tem abertas as portas de Roland Garros

 foto AFP

A imprensa italiana avança que a França vai promover uma alteração nas leis de entrada no país. Pessoas não-vacinadas vão passar a poder entrar em solo francês, desde que tenham contraído covid-19 nos seis meses anteriores à chegada

Na sequência da polémica que envolveu Novak Djokovic, impedido de entrar e posteriormente deportado da Austrália por não estar vacinado contra a covid-19, começaram a surgir dúvidas acerca de se esse panorama se iria repetir nos próximos Grand Slams da temporada.

Com o Roland Garros, agendado para começar em 22 de maio em Paris, a ser o próximo grande evento de ténis na agenda, este domingo, o jornal italiano Gazzetta dello Sport garante que o governo francês vai operar uma alteração nos regulamentos de entrada no país que vai passar a incluir pessoas não-vacinadas, desde que tenham acusado positivo à covid-19 nos seis meses anteriores à vinda para o país.

Com a alteração, Djokovic, que revelou ter sido infetado pelo vírus em meados de dezembro passado, pelo que terá uma janela válida até junho para entrar em solo francês, podendo assim participar no Roland Garros.

Posteriormente ao Grand Slam francês, haverá o Wimbledon, disputado no Reino Unido e o US Open, que terá lugar em solo americano. No que toca ao primeiro, Djokovic poderá dar entrada no país desde que cumpra dez dias de isolamento e teste duas vezes negativo à covid-19 nesse período, enquanto que, nos Estados Unidos, os critérios de entrada no país são semelhantes aos da Austrália, pelo que a participação já se torna mais improvável.