"Hoje apenas posso andar, não corro nem na passadeira e sou incapaz de subir escadas sem dor"

Juan Martin Del Potro

 foto Filipe Amorim / Global Imagens

Juan Martin Del Petro, antigo campeão do US Open, abordou as lesões que estragaram uma carreira que podia ter sido melhor e mais duradoura

Chegou a ser encarado como futuro número 1 do ténis mundial, foi campeão do US Open ainda jovem, mas as lesões atiraram-no para fora da ribalta e aceleraram o final da carreira. Juan Martin Del Potro abordou de uma forma crua todos os problemas físicos que não prejudicaram só a sua vida profissional.

"Hoje apenas posso andar, não corro nem na passadeira e sou incapaz de subir escadas sem dor. Não posso conduzir durante muito tempo sem ter de parar para esticar as pernas, por causa da dor. Esta é a minha realidade, é muito dura e triste, mas continuo à procura de uma forma de melhorar. O meu novo desafio é encontrar uma forma de processar tudo isto, assimilar isto como me levantar todos os dias e viver da melhor forma possível", explicou, em entrevista ao 'La Nación'.

O tenista argentino, campeão em Nova York em 2009, diante de Roger Federer, lamentou a falta de resultados positivos perante tantas tentativas de fintar e resolver os problemas no joelho.

"Há pouco tempo fui à Suíça ver outro médico, comecei um novo tratamento, um que me recomendaram vários tenistas profissionais, mas até agora não tive qualquer resultado positivo. É muito difícil esta sensação depois de cada tentativa, seja um tratamento ou cirurgia. A frustração que sinto quando as coisas não funcionam é difícil de explicar. Engano-me a mim mesmo, tenho fé num tratamento que experimento, mas quando ele falha o golpe é muito duro", atirou.