ATP diz que expulsão de Djokovic põe fim a "acontecimentos profundamente lamentáveis"

Novak Djokovic, tenista sérvio

 foto AFP

Organização que gere o circuito mundial pronunciou-se sobre decisão dos australianos em deportar o número um mundial

A Associação de Tenistas Profissionais (ATP), que dirige o circuito profissional de ténis masculino, comentou hoje que a expulsão de Novak Djokovic da Austrália "põe fim a uma série de acontecimentos profundamente lamentáveis".

"A decisão de hoje (domingo) de defender o cancelamento do visto australiano de Novak Djokovic põe fim a uma série de acontecimentos profundamente lamentáveis", escreveu a ATP, sublinhando que "as decisões do tribunal sobre questões de saúde pública devem ser respeitadas", mas que "a ausência de [Djokovic] do Open da Austrália é uma perda para o ténis".

O Tribunal Federal australiano indeferiu hoje o recurso do tenista Novak Djokovic contra uma ordem de deportação, que implica uma proibição de entrar durante três anos na Austrália.

Três juízes do Tribunal Federal confirmaram uma decisão tomada na sexta-feira pelo ministro da Imigração de cancelar o visto do sérvio, de 34 anos, por motivos de interesse público.

A decisão significa provavelmente que Djokovic, que não está vacinado contra a covid-19, vai permanecer detido em Melbourne até ser deportado.

Uma ordem de deportação inclui também, geralmente, uma proibição de três anos de entrar no país.