Sporting abre inscrições para a formação do râguebi

Sporting abre inscrições para a formação do râguebi
Redação com Lusa

Tópicos

Os leões consideram que o documento da Direção-Geral da Saúde (DGS), que coloca o râguebi como modalidade de risco elevado no âmbito da retoma desportiva em contexto de pandemia de covid-19, "peca por tardio".

O râguebi do Sporting abriu esta quinta-feira as inscrições para os escalões de formação, anunciou a secção numa publicação nas redes sociais, na qual afirma que "a orientação emitida pela DGS não proíbe os treinos dentro da mesma equipa".

Os leões consideram que o documento da Direção-Geral da Saúde (DGS), que coloca o râguebi como modalidade de risco elevado no âmbito da retoma desportiva em contexto de pandemia de covid-19, "peca por tardio" e não questionam a inclusão nesse grupo, mas antes a "aplicação dos critérios" que dizem "não terem sido igual para todas as modalidades, caindo assim a justificação da defesa da saúde pública argumentada pela DGS".

"A orientação emitida pela DGS não proíbe os treinos dentro da mesma equipa, apenas proíbe (para já) a competição, com exceção do escalão sénior. Os planos de treino já estavam elaborados pelos nossos técnicos e preveem todas as condições para um treino seguro", defende a secção de râguebi do clube de Alvalade.

O coordenador dos escalões de formação leoninos explicou que "os sub-8, sub-10 e sub-12 não têm competição", pelo que é "perfeitamente possível continuar a trabalhar as competências essenciais sem realizar contactos" e remeteu para a pré-competição (sub-14) e competição (sub-16 e sub-18) as maiores preocupações.

"Os sub-14 são o escalão que nos levanta maiores dúvidas. Temos feito alguns contactos com outros clubes no sentido de tentar montar uma competição informal, numa variante sem contacto, que cumpra as normas da DGS. Os sub-16 e sub-18 apresentam maiores desafios, pois é muito difícil trabalhar sem contacto, até por uma questão da própria motivação deles", disse João Telhada.

A expectativa dos responsáveis é, para estes escalões, que as normas anunciadas esta semana pela DGS "sejam transitórias" e que seja possível "alterar as regras" e "permitir que os escalões jovens possam jogar, mesmo que sujeitos à realização de testes", apesar de isso levantar outros desafios, nomeadamente a nível financeiro.

"Mesmo um clube como o Sporting teria dificuldades, pois tem mais 50 modalidades com solicitações idênticas. A solução poderá vir pela via política. Tem de haver a perceção da parte do governo e restantes partidos de que os clubes estão a prestar um serviço público importantíssimo, falo exclusivamente da formação, e cumpre ao Estado financiar esses testes para viabilizar a competição", considerou o coordenador dos verdes e brancos.

Refira-se que o râguebi do Sporting movimentou, na última época, cerca de 120 atletas masculinos e femininos nos escalões de formação, um número que João Telhada espera manter apesar da pandemia e das restrições à prática desportiva que surgem das orientações mais recentes da DGS.

Diga-se, ainda, que os treinos dos leões recomeçam a 2 de setembro e as inscrições estão abertas para rapazes e raparigas entre os cinco e os 18 anos de idade.