Dívidas obrigam Holyfield a vender cinturões e carros

Dívidas obrigam Holyfield a vender cinturões e carros

Ganhou perto de 400 milhões de euros, mas o supercampeão de boxe derreteu uma fortuna colossal e está a passar por momentos complicados.

Com 11 filhos para alimentar e dívidas superiores a 12 milhões de euros, o norte-americano Evander Holyfield, três vezes campeão mundial de boxe de pesados (IBF, WBA e WBC ), depois de o ter sido também de meios-pesados, vai organizar, de acordo com o jornal britânico "Daily Mail", um leilão para vender alguns dos símbolos mais importantes de uma longa carreira, bem como alguns bens valiosos do que lhe resta de uma fortuna que chegou a ser estimada em cerca de 500 milhões de dólares (perto de 390 milhões de euros).

Segundo o diário britânico, Holyfield está desesperado e vai pôr à venda 20 pares de luvas, botas e trajes usados em alguns combates importantes, relógios de ouro e diamantes, cinturões da WBC (Conselho Mundial de Boxe), da WBA (Associação Mundial de Boxe) e da IBF (Federação Internacional de Boxe) e também alguns carros de luxo, incluindo um Chevrolet Corvette vermelho de 1962.

Já em julho o ex-pugilista tinha vendido uma mansão com 109 quartos, localizada nos arredores de Atlanta por 6,25 milhões de euros, pois estava em risco de perdê-la por dívidas a bancos e ao fisco. Evander Holyfield, que faz 50 anos na próxima sexta-feira, abandonou o boxe em 2004 e tentou regressar em 2006, tendo mesmo disputado o título da WBA com o russo Nikolai Valuev. Perdeu aos pontos.