Um livro por dia: medalha de ouro para campeão da Banda Desenhada

Um livro por dia: medalha de ouro para campeão da Banda Desenhada
João Araújo

Aqui fica uma sugestão, que também serve de homenagem a um campeão da Banda Desenhada franco-belga.

No dia em que a vida, caprichosamente, fez coincidir um inédito adiamento dos Jogos Olímpicos com o falecimento de Albert Uderzo, aos 92 anos, aqui fica uma homenagem a este campeão da Banda Desenhada franco-belga, responsável pelo traço de Astérix, de que também chegou a ser argumentista durante alguns anos após a morte do antigo companheiro de estrada René Goscinny, em 1977.

"Astérix nos Jogos Olímpicos" é a obra escolhida - dificilmente poderia ser outra. Nela, os heróis gauleses participam nessa manifestação desportiva que durou cerca de mil anos na Grécia Antiga, havendo referências a várias modalidades da época (luta, atletismo...) e até ao doping, com a famosa poção mágica do druida Panoramix no centro da discussão.

As referências ao desporto na mais bem sucedida criação de Goscinny e Uderzo não se ficam, porém, por aqui. Boxe e judo surgem em outros álbuns, tal como o râguebi, em "Astérix entre os bretões", que tanto cativa Obélix pelo lado físico, apesar da complicação das regras!

NÃO SAIA DE CASA, LEIA O JOGO NO E-PAPER. CUIDE DE SI, CUIDE DE TODOS

"Tifoso" da Ferrari, Uderzo também incluiu as 24 Horas de Le Mans nas histórias de Astérix, tal como a Volta a França e o seu pentavencedor Eddy Merckx, que em "Astérix entre os belgas" é um mensageiro... veloz! Alain Prost, o francês quatro vezes campeão mundial de Fórmula 1, aparece no penúltimo lançamento, "Astérix na Transitálica" (2017), assinado pelos sucessores de Goscinny e Uderzo (que deixou de desenhar em 2005), na personagem do vilão mascarado de seu nome... "Coronavírus"!