Olímpicos como uma luz

Miguel Gouveia Pereira

A Missão portuguesa vai contar com 92 atletas, em 17 modalidades. É a segunda mais numerosa de sempre e foi despedir-se do Presidente da República, que os elogiou entre mensagens de esperança.

Alguns elementos da Missão olímpica portuguesa, ligados à logística, já viajaram para Tóquio, começando a preparar uns Jogos Olímpicos atípicos, que se iniciam dia 23, um ano mais tarde do que o previsto e num cenário ainda desconhecido, pelas limitações associadas à covid-19.

Portugal vai contar com a segunda maior delegação de sempre, com 92 atletas - o mesmo número do Rio"2016 e apenas aquém dos 107 de Atlanta"1996.

A maior competição desportiva do planeta é vista como um sinal de esperança pelo próprio Comité Olímpico de Portugal (COP). "Têm sido tempos difíceis para uma Missão olímpica, em tempos de algum receio. Tudo faremos para dar as melhores condições aos atletas portugueses. Os Jogos Olímpicos podem ser um sinal positivo, de que os tempos mais difíceis foram ultrapassados", vincou José Manuel Constantino, presidente do COP, que não perspetivou números de medalhas. "Apenas podemos prometer que tudo faremos para orgulhar os portugueses", disse, sabendo que no programa assinado com o Governo se aponta para dois pódios.

O dirigente olímpico destacou o número de atletas, 92 em 17 modalidades, e o maior equilíbrio entre homens e mulheres. "A avaliação que fazemos é muito positiva e tudo graças ao trabalho que é bem feito por clubes e federações. O Governo também honrou os compromissos no âmbito da Missão olímpica", frisou o líder do COP.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, presente na cerimónia de despedida da Missão - entre atletas e staff terá mais de 200 pessoas -, mostrou-se confiante numa boa prestação lusa. "Foi uma luta diária dos atletas para conseguirem o objetivo de estar nos Jogos Olímpicos. O povo português está ciente disso e vai acompanhar à distância os vossos sucessos. Vós sois os melhores embaixadores de Portugal", apontou, destacando a importância dos Jogos no contexto atual: "A vida não acaba com a pandemia e vós sois símbolos dessa esperança. Há mais vida para além da pandemia."

Eduardo Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República, e Tiago Brandão Rodrigues, ministro da Educação - que irá a Tóquio -, também marcaram presença no evento, que contou com 29 dos 92 atletas que vão representar Portugal no Japão.