"Jogos adiados? O que é certo é que haverá custos adicionais, mas estamos muito atentos"

"Jogos adiados? O que é certo é que haverá custos adicionais, mas estamos muito atentos"
Redação com Lusa

Diretor do COI preferiu não abordar valores.

O Comité Olímpico Internacional (COI) reconheceu esta quinta-feira que o adiamento dos Jogos Olímpicos Tóquio'2020 para 2021, devido à pandemia de covid-19, vai gerar "custos adicionais" para o organizador japonês e para o próprio organismo, mas não quantificou.

"Os custos? É um processo em andamento. O que é certo é que haverá custos adicionais para o comité organizador de Tóquio, bem como para o COI e para a família olímpica, mas estamos muito atentos a isso", afirmou o diretor do COI Christophe Dubi, durante uma conferência de imprensa.

Dubi preferiu não abordar valores, porém acrescentou que o adiamento da competição faz com que "dezenas de milhares de linhas de orçamento tenham de ser revistas".

NÃO SAIA DE CASA, LEIA O JOGO NO E-PAPER. CUIDE DE SI, CUIDE DE TODOS

O diretor do organismo enalteceu ainda que Tóquio "encontrava-se em excelente situação financeira antes da crise", motivada pela pandemia do novo coronavírus.

"Eles [japoneses] fizeram uma campanha fantástica em termos de marketing, na venda de ingressos e acomodação. Isso ajudou bastante, porque geraram receitas muito grandes e podemos contar com isso", contou.

Os Jogos Olímpicos Tóquio'2020 foram adiados para 2021, devendo realizar-se entre 23 de julho e 8 de agosto, quase um ano depois das datas inicialmente previstas (24 de julho e 9 de agosto de 2020), devido à pandemia da covid-19.