Uma viagem ao mundo desconhecido de Alvalade

Uma viagem ao mundo desconhecido de Alvalade
Rui Guimarães

São 6000 a praticar desporto, desde o piso -1 das piscinas até ao pavilhão do 3.º. Nada se compara, em Portugal, a este universo leonino.

"Muita gente nem sabe da existência deste espaço, se calhar nem alguns colaboradores sabem". As palavras de Bruno Rebelo, responsável pelo Multidesportivo do Sporting, reforçam a ideia com que se fica após umas horas de visita guiada à zona mais agitada do Estádio de Alvalade: quem vê de fora não imagina a dimensão, nem a qualidade, de umas instalações que permitem ao clube fazer um trabalho único.

Veja aqui as imagens:

Na ala norte do estádio dos leões, distribuídas por quatro pisos, estão as mais diversas estruturas das 54 modalidades que o Sporting tem em atividade. Desde as piscinas, no piso -1, a um pavilhão para andebol e futsal, no piso 3, são dezenas de salas, com espaço para modalidades tão díspares como tiro, ténis de mesa, as várias vertentes da ginástica, kickboxing ou judo, para além de locais para os sectores administrativos de outros desportos, como o atletismo, ou um gabinete de fisioterapia onde trabalha, por exemplo, Naide Gomes. "Temos muito boas condições. O clube concebeu o Multidesportivo com o intuito de lhe dar mais-valias do ponto de vista tecnológico, portanto temos todos os recursos de que necessitamos", garante Luís Ribeiro, fisioterapeuta que falou a O JOGO enquanto trabalhava com Anri Egutidze, judoca do projeto olímpico.

Com a preocupação de ter também condições para o desporto adaptado, são cerca de 6000 as pessoas que utilizam o Multidesportivo, que abriu em 2004 e na época 2015/16 já teve obras de remodelação. "Estamos só a falar daqueles que frequentam este complexo, porque muitas modalidades recorrem a outros espaços, por não termos capacidade de resposta. Mesmo sendo isto uma coisa enorme", diz Rebelo, dando uma ideia da pujança do Sporting. "Os nadadores olímpicos, por exemplo, raramente treinam aqui. Eles trabalham nas piscinas de 50 metros do estádio nacional ou universitário", continuou Bruno Rebelo. "Este espaço é muito grande. Mesmo eu não fixei onde estão aqui todas as modalidades do clube e muita gente não sabe a existência de algumas delas", disse também Nuno Félix, atleta, diretor e treinador de tiro com arco.

Curiosidades

Espaço do judo é como um santuário

A sala onde treina o judo é talvez a mais "reservada" de todo o Multidesportivo. "São os atletas que limpam e arrumam tudo, faz parte da disciplina imposta pelo treinador Pedro Soares", explica Bruno Rebelo.

Ténis de mesa com várias dimensões

O ténis de mesa tem uma sala própria, onde os atletas treinam e jogam, com capacidade para 78 espectadores. No entanto, na Liga dos Campeões, o Sporting já jogou no pavilhão onde treinam o andebol e o futsal (terceiro piso, com 150 espectadores) e, na estreia em casa, até já utilizou o João Rocha.

Carreira de tiro só não tem bancadas

A carreira de tiro a dez metros talvez seja o espaço mais inusitado do Multidesportivo. "Tem a luz, a acústica e a temperatura adequadas, sendo o chão do espaço dos referidos dez metros ocupado com pedras. "É assim porque ajuda a manter a temperatura ideal", diz Rebelo.

Quando o básquete treina... kickboxing

No dia em que O JOGO fez esta viagem pelo Multidesportivo de Alvalade, a equipa feminina de sub-16 de basquetebol estava a treinar... kickboxing. "Isto acontece muitas vezes, as diversas modalidades interagirem umas com as outras", conta Fernando Fernandes, treinador e grande figura daquela modalidade de combate.

Tiro com arco quase duplicou praticantes

No espaço dedicado ao tiro com arco, há quem comece a treinar às seis da manhã, dependendo dos horários de trabalho de cada um. Possui a curiosidade de ser um dos poucos locais incompatíveis com outras modalidades, por questões de segurança, sendo uma secção que praticamente duplicou o número de praticantes. "Quando esta Direção entrou, em 2014, tínhamos 17 atletas federados. Agora são 32", revela Nuno Félix, diretor, treinador e atleta de tiro com arco.