Golfe: Ricardo Santos coloca-se no top 5 do Dutch Open

Golfe: Ricardo Santos coloca-se no top 5 do Dutch Open
Redação com Lusa

Português não falhou ao longo de 18 buracos e está bem encaminhado para garantir a manutenção em prova, tal como o compatriota Ricardo Melo Gouveia

O golfista Ricardo Santos colocou-se, esta quinta-feira, dentro do "top 5"no Dutch Open, que está a decorrer no traçado de Par 72 do Bernardus Golf, nos Países Baixos, ao completar a volta inaugural com 67 pancadas (-5).

O profissional algarvio, 39 anos, exibiu-se a bom nível e, sem cometer qualquer falha durante os 18 buracos, entregou um primeiro cartão com cinco "birdies" (uma abaixo) nos buracos 2, 7, 8, 12 e 18, terminando em quarto lugar, empatado.

"Estive ao mais alto nível do "tee" ao "green", mas não estive tão bem quanto isso no "putt". Gosto do campo e adaptei-me bem nesta primeira volta. Aliás, tenho andado a jogar relativamente bem do "tee" ao "green", onde o "putt" tem prejudicado o meu jogo e os resultados", explicou o jogador, em declarações à Lusa.

Depois de falhar o "cut" nos últimos quatro torneios do European Tour, Ricardo Santos está, assim, muito bem encaminhado para garantir a manutenção em prova, tal como o compatriota Ricardo Melo Gouveia, esta semana a disputar o torneio do principal circuito europeu.

O bicampeão do Challenge Tour, após os triunfos consecutivos no Italian Challenge e no Made in Esbjerg Challenge, arrancou esta quinta-feira com um "bogey" (uma acima) no buraco 1 do Bernardus Golf, mas conseguiu recuperar com um "eagle" (duas abaixo) no "green" do 7 e um "birdie" no 14 para terminar com 70 pancadas, duas abaixo do Par do campo.

Enquanto Melo Gouveia integrou o lote de jogadores que partilham a 36.ª posição do "leaderboard", Pedro Figueiredo assinou dois "birdies" (nos buracos 6 e 7) e três "bogeys" (16, 17 e 18) para um "score" inicial de 73 pancadas, duas acima do "cut" provisório, fixado nos 71 "shots".

O irlandês Niall Kearney, por sua vez, assumiu a liderança do Dutch Open com 65 pancadas, sete abaixo do Par, e vantagem mínima sobre o dinamarquês Martin Simonsen e o alemão Maximilian Kieffer.