Atletas, treinadores e seleções com acesso facilitado a apoio na saúde mental

Atletas, treinadores e seleções com acesso facilitado a apoio na saúde mental
Redação com Lusa

Acordo é suportada por uma vasta rede de profissionais da Cruz Vermelha, com cerca de 150 estruturas e 200 psicólogos

Atletas, treinadores de alto rendimento e seleções nacionais vão ter acesso facilitado a apoio na saúde mental, beneficiando de um protocolo entre o Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) e a Cruz Vermelha Portuguesa (CVP).

O acordo, assinado esta segunda-feira, tem como suporte a vasta rede de profissionais da Cruz Vermelha a nível nacional, com cerca de 150 estruturas e 200 psicólogos em todo o território.

"Sendo a saúde mental uma das preocupações de saúde pública e reconhecida como prioritária no atual panorama social, o IPDJ reforça assim as áreas nas quais tem encontrado a oportunidade de melhorar as condições de vida dos agentes desportivos, neste caso através do aumento da rede de profissionais para um acompanhamento psicológico no alto rendimento", explica o organismo.

A presidente da Cruz Vermelha, Ana Jorge, recorda que os atletas da alta competição "estão expostos a pressões, quer do público em períodos de competição, mas também, pelos seus treinadores, equipas e patrocinadores", pelo que urge cuidar da sua saúde mental.

"Esta exigência física e emocional resulta, muitas vezes, na manifestação de sinais de alerta que os fragilizam, com repercussões diretas nos seus contextos profissionais, pessoais e sociais. A coragem para enfrentar as barreiras na perceção da imagem que os outros têm de si é fundamental no processo de recuperação", explicou.

A responsável entende que este protocolo, que promove uma "articulação" entre as entidades e os especialistas, vai ajudar a "alterar o rumo da saúde mental em Portugal".

Já o presidente do IPDJ, Vítor Pataco, entende que esta parceria "vem dar resposta às necessidades de atletas e treinadores na área da saúde mental", considerando que este tema "tem ganhado relevância na agenda do desporto de alto rendimento".

"Os atletas e as atletas, felizmente, começam a encarar o tema com a normalidade que ele merece e vão poder beneficiar da rede de profissionais de saúde mental que vai estar à sua disposição com a celebração deste protocolo", elogiou.