Responsável da Red Bull tinha um plano bizarro: infetar pilotos com coronavírus

Responsável da Red Bull tinha um plano bizarro: infetar pilotos com coronavírus
Redação

Tópicos

Ideia do assessor Helmut Marko, que foi prontamente descartada, foi contada pelo próprio ao canal austríaco ORF.

Com o arranque da época de 2020 na Fórmula 1 adiado, o consultor da Red Bull, Helmut Marko, de 76 anos, tinha em mente um plano surreal para o "Grande Circo" lidar com o coronavírus.

O austríaco sugeriu que, durante a primeira metade da época, se reunissem todos os pilotos principais e de testes num mesmo local para uma bateria de exames em que se contagiavam com covid-19 e desenvolveriam a imunidade necessária para superar a doença rapidamente.

"A ideia era organizar um campo em que a gente pudesse superar esse tempo morto mental e fisicamente. Era momento ideal para a infeção. Eles são todos jovens e estão em ótimo estado de saúde. Dessa forma, eles ficavam prontos para quando a ação na pista começasse. Ficavam prontos para aquele que provavelmente vai ser um campeonato muito duro", contou Marko ao canal ORF, esclarecendo que, naturalmente, a ideia não foi bem recebida, sendo logo descartada pela marca de bebidas energéticas, que tem nas suas fileiras Max Verstappen e Alex Albon, além de Pierre Gasly e Daniil Kvyat, da segunda equipa, a Alpha Tauri.

NÃO SAIA DE CASA, LEIA O JOGO NO E-PAPER. CUIDE DE SI, CUIDE DE TODOS

Anteriormente, Marko já tinha defendido que o melhor para Verstappen era ficar infetado. "O Verstappen ligou-me e disse que está com medo de ser infetado. Mas, sinceramente, era o melhor para ele. Tem 22 anos, não faz parte do grupo de risco... ficaria imune", afirmou na altura.

A presente época de Fórmula 1 já teve seis Grandes Prémios adiados e dois cancelados (Austrália e Mónaco), tendo arranque previsto para 14 de junho, no Canadá.