Miguel Oliveira impressionou na Alemanha: "Andou para um top 10"

Miguel Oliveira impressionou na Alemanha: "Andou para um top 10"
Carlos Flórido

Tópicos

Hervé Poncharal, manager da Tech3, ficou impressionado com o ritmo do luso na Alemanha e O JOGO confirmou: sem a queda seria décimo

"No final só me apetecia dizer "bom trabalho Miguel, obrigado por ficares em pista, obrigado pelo que puxaste e por com isto te estares a tornar um melhor piloto de MotoGP"; portanto, o que aconteceu foi uma pena", desabafou Hervé Poncharal após o Grande Prémio da Alemanha, que Miguel Oliveira terminou na 18.ª posição, devido a uma queda. O manager da Red Bull KTM Tech3, na posse dos dados da corrida, sabia que o português tinha feito a melhor exibição da época e fora o mais rápido dos pilotos da KTM, embora Pol Espargaró tivesse terminado em 12.º e Hafizh Syahrin em 16.º.

"O que nos deixou mais tristes foi o facto de o seu andamento ter sido o suficiente para fazer um top 10 ou até um top 8, o que representaria o melhor resultado da época", continuou o francês, desiludido por ver Oliveira a recuperar tempo, mas sem sair da última posição. "Ele fez uma boa partida e estava num bom grupo, mas infelizmente, e sendo um piloto que raramente comete um erro, teve um com custos muito elevados. Foi bravo ao pegar na moto e continuar, mesmo com a asa direita partida e a manete do travão dobrada. Apesar de ter a moto danificada, fez voltas impressionantes."

Os elogios foram muitos, mas Poncharal não exagerou. Caindo à segunda volta, Oliveira perdeu mais de 34 segundos entre a queda e a volta seguinte. Retirando essa margem aos 57,377 segundos que distou do vencedor, Marc Márquez, o português teria terminado com um tempo semelhante ao do alemão Stefan Bradl, que com a outra Honda oficial foi décimo, a 22,708s do espanhol. Como a KTM foi mais rápida na maioria das voltas, e sobretudo nas últimas sete, essa posição estaria bem ao alcance de Oliveira.

Mas no Sachsenring houve outros dados ainda mais animadores. Oliveira foi mais rápido do que Espargaró nas últimas 10 voltas e teve duas sequências impressionantes: entre a oitava e a 12.ª volta (8.º, 5.º, 7.º, 8.º e 10.º tempos) e a 25.ª e a 30.ª e última (9.º, 9.º, 8.º, 4.º, 9.º e 8.º) esteve entre os mais rápidos em pista. A evoluir assim, o português pode mesmo pensar num top 10 para a segunda metade da época.