MotoGP: saída de Zarco abre a porta a Miguel Oliveira

MotoGP: saída de Zarco abre a porta a Miguel Oliveira

Marca austríaca quer ter Dani Pedrosa, mas nem o espanhol deseja voltar a correr no MotoGP, nem haverá ninguém do atual top 10 livre para assinar. Aí entra a opção pelo piloto almadense.

"Sim, está-nos a faltar um piloto" - foi assim que Hubert Trunkenpolz, um dos homens-fortes da KTM, admitiu no domingo que os austríacos estão no mercado, o que se confirmou na segunda-feira com o anúncio da saída de Johann Zarco da equipa de fábrica.

O francês tinha contrato para 2020, mas vem a realizar uma época bastante modesta (apenas 17.º em MotoGP, com 22 pontos), atrás de Miguel Oliveira, da satélite Tech 3. E apesar das declarações do chefe Hervé Poncharal ("Foi-me prometido que o Miguel estará na Tech 3 em 2020"), o português é um dos candidatos à vaga, face à boa temporada que está a realizar como "rookie" (15.º, com 26 pontos), tendo impressionado com o oitavo posto no GP da Áustria.

Não havendo grandes opções no atual top 10 - Jorge Lorenzo (Honda) vai cumprir o contrato até ao fim e Jack Miller acertou a continuidade com a Pramac Ducati -, a primeira escolha recai sobre Dani Pedrosa, mas o espanhol não deseja voltar da reforma e a promoção do almadense poderá ser a hipótese seguinte. "O Dani assinou para piloto de testes e especificou que não está disponível para correr. Temos de falar com ele novamente", explicou Trunkenpolz, que já foi ao ponto de equacionar pilotos de Moto2, só admitindo contratar Alex Márquez ou Remy Gardner.

Em fim de contrato com a Honda, onde é piloto de testes, o alemão Stefan Bradl ainda sonha voltar a tempo inteiro, depois de ter sido campeão do mundo de Moto2 em 2011, e é outra possibilidade. Mas perante esta lista de nomes, Oliveira é uma escolha... óbvia.