"Durante a corrida apercebi-me de certas coisas que têm de mudar"

"Durante a corrida apercebi-me de certas coisas que têm de mudar"

Miguel Oliveira terminou o GP das Américas em 13.º lugar.

Um mau arranque obrigou Miguel Oliveira (KTM) a ter de recuperar seis posições no GP das Américas, nos Estados Unidos, para marcar mais dois pontos no Mundial de MotoGP, em que ocupa a 16.ª posição.

O piloto português, que partia do 18.º lugar, falhou o arranque e viu-se relegado para a 20.ª posição ainda na primeira das 20 voltas ao traçado de Austin, no Texas, onde este domingo se disputou esta terceira jornada do campeonato do mundo de velocidade.

A partir daí teve de encetar uma recuperação que o chegou a levar ao 13.º posto à 10.ª passagem pela meta, lugar que conservou durante cinco voltas, numa altura em que o campeão em título, o espanhol Marc Márquez (Honda), já tinha desistido devido a uma queda, quando liderava.

No entanto, o português viria a ser ultrapassado pelo espanhol Maverick Viñales (Yamaha), que teve de cumprir uma passagem pelo pit lane como penalização por partida antecipada.

"Foi uma corrida bastante complicada. Foi um arranque e uma primeira volta bastante mediana, em que não consegui recuperar tantas posições quantas gostaria. Mas assim que consegui começar a apanhar o ritmo senti-me bem com a mota", explicou Miguel Oliveira.

Depois de um intenso duelo com o francês Johann Zarco, piloto oficial da KTM, o piloto português cruzou a meta na 14.ª posição, imediatamente atrás do companheiro da marca austríaca.

"Acabámos por terminar dentro dos pontos, que era o nosso objetivo num circuito muito complicado, com muitos truques. De facto, aqui, ter um grande à-vontade com a mota faz a diferença e durante a corrida apercebi-me de certas coisas que, ergonomicamente, têm de mudar para estar mais confortável e ter um desempenho melhor no final da corrida", acrescentou Miguel Oliveira.

O piloto da KTM terminou a 44,272 segundos do vencedor, o espanhol Alex Rins (Suzuki), que conquistou a primeira vitória em MotoGP, com 462 milésimos de avanço sobre o italiano Valentino Rossi (Yamaha), segundo classificado, à frente das Ducati de Jack Miller e Andrea Dovizioso.

A quarta ronda do Mundial de MotoGP, o Grande Prémio de Espanha, realiza-se no dia 5 de maio, no circuito espanhol de Jerez de la Frontera.

"Agora vamos para Jerez, um circuito de que gosto bastante. Estamos muito otimistas para continuar este trabalho", concluiu o piloto português, após um desempenho que mereceu elogios por parte do diretor da Tech3, a equipa pela qual corre no ano de estreia em MotoGP.

"O Miguel manteve a calma e trabalhou muito bem. Fez uma boa qualificação e, apesar de ter tido um arranque bastante mau, recuperou bastantes posições até ficou atrás do Johann [Zarco]. Fizeram a corrida ao mesmo ritmo, o que foi interessante para o Miguel ver como o Johann estava a trabalhar. Acho que aprendeu algumas coisas, além de ter somado mais dois pontos", disse o francês Hervé Poncharal.

Miguel Oliveira é, agora, o 16.º classificado do campeonato, com os mesmos sete pontos do espanhol Jorge Lorenzo (Honda), que desistiu devido a problemas mecânicos.

No campeonato dos estreantes [rookies], Miguel Oliveira ocupa a quarta posição, a dez pontos do líder, o francês Fabio Quartararo (Yamaha).