Dakar 2018: Retirada penalização de 10 minutos a Carlos Sainz

Dakar 2018: Retirada penalização de 10 minutos a Carlos Sainz

Piloto espanhol tinha sido punido por derrubar um piloto de quad

A organização do Dakar anulou a penalização de 10 minutos atribuída a Carlos Sainz, líder da prova, depois de uma queixa de Kees Koolen, piloto de quad, que alegava ter sido derrubado pelo espanhol, que depois seguira caminho sem prestar auxílio.

Numa primeira fase, a direção da corrida deu como provadas as acusações, mas depois de uma análise mais profunda concluiu que Sainz fez tudo da forma correta e que nem sequer terá atingido, com o carro, o quad do holandês. Foi analisada a telemetria do Peugeot de Sainz e verificou-se que o carro circulava a 160 km/h quando encontrou o quad, tendo travado para os 50 km/h para circular atrás do holandês, ativando o alarme que anuncia a um piloto que há um carro a querer ultrapassá-lo. Sainz fez este gesto quatro vezes e só à última Koolen reagiu, tendo parado e perdido o controlo do quad na lama. Sainz que já se preparava para a ultrapassagem, teve de travar novamente a fundo, reduzindo até aos 37 km/h, ao mesmo tempo que ginava o volante para evitar o choque que, em momento algum ficou registado nos dados do carro.

Carlos Sainz, recorde-se, declarou não ter embatido no quad, ter olhado para o retrovisor depois de a ultrapassagem e que tudo estava em condições, pelo que não havia necessidade de auxílio. Já o holandês acusou o espanhol do choque e de ter seguido sem prestar auxílio. "Podia estar morto", chegou a declarar.