Circuito Vila Real: dois portugueses garantidos, a dúvida de Monteiro e Miguel Oliveira a abrilhantar

Circuito Vila Real: dois portugueses garantidos, a dúvida de Monteiro e Miguel Oliveira a abrilhantar

Prova realiza-se entre 22 e 24 de junho e foi esta quarta-feira apresentada

Vila Real acolhe, entre 22 e 24 de junho, a quinta ronda da Taça do Mundo de Carros de Turismo (WTCR) que vai ser disputada por 27 pilotos, entre os quais os portugueses Edgar Florindo e José Rodrigues.

Na cidade mantém-se a esperança de que o piloto Tiago Monteiro regresse à competição durante o Circuito Internacional de Vila Real, que tem como prova principal o WTCR.

Garantida está já a participação dos pilotos Edgar Florindo e José Rodrigues.

Esta quarta-feira, durante a apresentação da 49.ª edição do Circuito Internacional de Vila Real, Edgar Florindo manifestou um "grande orgulho" por poder competir no WTCR e por fazer "parte da história" deste circuito citadino.

Este será, segundo frisou, o "maior desafio" da sua carreira, já que poderá "medir forças" com os melhores pilotos da atualidade. "É uma oportunidade de ouro", salientou o piloto natural de Vila Real.

José Rodrigues partilhou do orgulho de participar neste "grande evento mundial".

"Correr em Vila Real é espetacular, é um circuito muito característico, muito rápido e técnico, em que temos o público muito próximo de nós. Quero desfrutar de chegar a um campeonato do mundo no meu país, de chegar ao topo, e quero usufruir e aprender com os melhores do mundo", salientou o piloto de Braga.

Para José Rodrigues, chegar ao WTCR é chegar "à Fórmula 1 dos carros de turismo".

José Silva, da Associação Promotora do Circuito Internacional de Vila Real (APCIVR), referiu que o WTCR terá 27 pilotos, mais do que os 16 que competiram na pista transmontana no ano passado, que irão disputar três provas.

"Os carros estão muito próximos uns dos outros, equivalem-se muito, e os pilotos, uns são jovens e outros mais experientes e campeões do mundo. Vai ser uma prova absolutamente fantástica e muito mais competitiva", salientou.

Em Vila Real, repete-se este ano a 'joker lap', um conceito que pretende "apimentar" a corrida e favorecer as ultrapassagens.

O WTCR é a principal competição do Circuito Internacional, mas Vila Real vai ser palco provas do Campeonato de Portugal de Velocidade (turismo, clássicos e legends), de Supercars, do GT Cup Kia Picanto e o 2.º Festival de Motos.

O piloto Miguel Oliveira, que no passado fim de semana venceu o Grande Prémio de Itália em Moto 2, vai ser a principal atração deste festival de motas.

Esta será, segundo o presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, uma homenagem ao piloto que, em 2019, será o primeiro português a competir no Mundial de MotoGP.

Será também, acrescentou, mais um teste à pista para avaliar a possibilidade do regresso das competições de motos a Vila Real.

"Queremos que isso venha a acontecer, mas queremos ter a garantia de que isso acontecerá com toda a segurança", salientou o autarca.

José Silva, da APCIVR, referiu que, no total das competições, estarão cerca de "120 a 150" pilotos no circuito urbano.


Impacto económico de 26 milhões

O presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, disse que o Circuito Internacional, que inclui o Campeonato do Mundo de Carros de Turismo, custa 1,1 milhões de euros e tem um impacto económico de 26 milhões de euros.

"Temos tudo preparado para termos mais uma grande festa em prol da marca Douro, de Vila Real e do automobilismo. Vai ser mais um grande fim de semana de festa que ficará na história de Vila Real", afirmou durante a conferência de imprensa de apresentação do 49.º Circuito Internacional.

O autarca, que assumiu o regresso das corridas automóveis a Vila Real como uma bandeira da sua candidatura, em 2013, salientou que este é um "evento que mexe com toda a economia local", desde as gráficas à hotelaria, à restauração, ao merchandising ou às equipas que montam o circuito.