Hélder Rodrigues e o Dakar: "Quero melhorar os dois pódios"

Hélder Rodrigues e o Dakar: "Quero melhorar os dois pódios"
Ántónio Gonçalves Rodrigues

Tópicos

Hélder Rodrigues é um dos favoritos à vitória no rali Dakar. Lidera equipa da Yamaha no ataque ao domínio da KTM, que venceu as últimas 16 edições. Preparação envolveu muitas corridas e testes em Marrocos.

Aos 37 anos, Hélder Rodrigues é, a par de Paulo Gonçalves, o piloto mais experiente a integrar o lote dos favoritos à vitória final no Dakar, que no dia 2 arranca do Paraguai. Um objetivo que já esteve muito próximo de acontecer - dois terceiros lugares, em 2011 e 2012 - mas que se foi afastando. Agora, o natural de Sintra chega à grande maratona com ânimo e esperanças renovadas num resultado histórico para as cores portuguesas.

"Já consegui dois pódios. Agora, o objetivo é fazer ainda melhor", disse Hélder Rodrigues a O JOGO antes de partir para a América do Sul.

Um discurso que demonstra uma tranquilidade que contrasta com o nervosismo de outras edições. Esta será a 11.ª participação consecutiva do "Estrelinha" na prova. Desde que se estreou, em 2006, no Lisboa Dakar, com um nono lugar que soube a sétimo (perdido graças a uma penalização por excesso de velocidade na penúltima etapa, já no Senegal), só por uma vez terminou fora dos dez primeiros. Uma regularidade ímpar numa prova que se decide muito à base da... regularidade diária. "São 14 dias muito difíceis", enfatizou o piloto, que lidera a armada da Yamaha. "Há apenas três ou quatro equipas oficiais na prova e haver um português a liderar uma delas não é fácil", destacou o natural de Sintra, que já passou por equipas como as da KTM ou da Honda.

Mas este é o tipo de desafios que apaixonam o mais cerebral dos portugueses, sete vezes campeão nacional de enduro (recorde na modalidade) e o que melhores resultados tem no Dakar (ver texto ao lado).

Ao longo do ano, a preparação foi cuidada. "Participámos em várias corridas, como no Dubai, no Catar ou na Sardenha, e em vários testes em Marrocos. Fizemos por disputar muitas competições ao longo dos fins de semana, para chegar em boa forma a esta altura", explicou.

O objetivo é chegar à competição em boas condições "físicas e psicológicas", pois os dias serão longos e com muitos quilómetros para enfrentar. "A preparação para esta prova é o objetivo do ano pelo que temos de ter muita cabeça e não deitar tudo a perder", sublinhou. "Tentei não mudar muito", disse ainda.

Agora, espera começar melhor, mas sempre consciente de que é na derradeira semana que as coisas se decidem. "Nos primeiros dias não se ganha nada, mas podemos perder muito", é uma das máximas que Hélder Rodrigues gosta de lembrar.