Guanyu Zhou torna-se o primeiro piloto chinês de F1 ao assinar pela Alfa Romeo

Guanyu Zhou torna-se o primeiro piloto chinês de F1 ao assinar pela Alfa Romeo
Redação

Tópicos

Segundo classificado de Fórmula 2 vai ser companheiro de Valtteri Botas a partir do próximo ano

A China passou, de forma inédita, a estar representada na Fórmula 1. Guanyu Zhou será o primeiro piloto chinês a competir, a partir de 2022, na principal categoria de automobilismo ao assinar contrato com a Alfa Romeo.

"Guanyu Zhou irá correr pela Alfa Romeo em 2022, tornando-se o primeiro piloto de sempre da China em F1", pode ler-se na página oficial do "Grande Circo" no Twitter.

A escuderia, que compete com licença suíça, descreveu Guanyu Zhou, oriundo da Fórmula 2 e futuro companheiro de Valtteri Botas, como um "pioneiro que escreverá uma página crucial na história do desporto motorizado do seu país [China].

O piloto chinês, de 22 anos de idade, segundo classificado no Mundial de Fórmula 2, que vai substituir Antonio Giovinazzi, ao serviço da Alfa Romeo desde 2019, diz estar em condições para cumprir um objetivo definido bem cedo.

"Sonhei desde tenra idade em escalar o mais alto que posso num desporto pelo qual sou apaixonado. Agora, o sonho tornou-se realidade. Sinto-me bem preparado para o imenso desafio da Fórmula 1, o auge do meu desporto", afirmou Zhou.

O diretor executivo da F1, Stefano Domenicali, afirmou que "a pirâmide da F2 está a funcionar bem, promovendo talentos para a primeira divisão", e caracterizou Zhou como um "piloto com um potencial incrível, uma mais-valia fantástica".

Com a contratação do jovem chinês Guanyu Zhou por parte da Alfa Romeo, todas as equipas de F1 estão, assim, completadas para a disputa da próxima temporada.