Ex-patrão da F1 critica Ucrânia e defende invasão russa: "Levaria um tiro por Putin"

Ex-patrão da F1 critica Ucrânia e defende invasão russa: "Levaria um tiro por Putin"
Redação

Tópicos

Bernie Ecclestone considera Vladimir Putin "uma pessoa de primeira classe" e critica Zelenski. "A sua profissão costumava ser comediante e parece que quer continuar nessa profissão", disse sobre o presidente da Ucrânia

Bernie Ecclestone, bilionário inglês e ex-patrão de Fórmula 1, está no centro de uma polémica - mais uma - e desta vez por ter defendido, numa entrevista à BBC, a invasão da Ucrânia por parte da Rússia, justificando as ações levadas a cabo por Vladimir Putin.

"Continuaria a levar um tiro por Putin. Esperava que não doesse, mas continuava. Isto porque ele é uma pessoa de primeira classe. O que ele está a fazer é o que acredita ser melhor para a Rússia. Infelizmente, como muitas pessoas do mundo empresarial, como eu, nós cometemos erros de vez em quando. E quando cometes um erro, tens de dar o teu melhor para conseguir desfazê-lo", disse ao programa Good Morning Britain.

Ecclestone não só defendeu o presidente da Rússia como criticou Volodymyr Zelensky, presidente ucraniano. "A outra pessoa na Ucrânia, entendo que a sua profissão costumava ser comediante e parece que quer continuar nessa profissão, porque se ele tivesse pensado sobre as coisas, definitivamente teria feito um grande esforço para falar com o senhor Putin, que é uma pessoa sensata, e que o teria ouvido e provavelmente poderia ter feito alguma coisa a respeito [da guerra]", concluiu.