Artem Severiukhin, autor de gesto fascista após corrida em Portimão, perde licença

Artem Severiukhin, autor de gesto fascista após corrida em Portimão, perde licença
Redação com Lusa

Tópicos

Antigo campeão da Rússia em juniores, no lugar mais alto do pódio e enquanto tocava o hino italiano, recriou uma saudação fascista que está ilegalizada em Itália desde 1952.

O Automóvel Clube de Itália retirou, esta terça-feira, a licença desportiva italiana ao piloto russo Artem Severiukhin, devido ao gesto "inaceitável e inqualificável" no pódio da primeira corrida do Europeu de karting, em Portimão.

"Enquanto ainda decorre a reunião extraordinária do conselho desportivo do Automóvel Clube de Itália, convocada a tomar medidas urgentes na sequência do gesto inaceitável e inqualificável do piloto russo de karting, (....) anuncia-se que a direção decidiu retirar imediatamente a licença desportiva de Severiukhin, encaminhando o processo para a justiça desportiva", lê-se num comunicado do organismo que rege o desporto automóvel em Itália.

O russo, de 15 anos, venceu, no passado domingo, a corrida da categoria OK, para maiores de 15 anos, no kartódromo do Autódromo Internacional do Algarve (AIA), em Portimão, impondo-se ao britânico Joe Turney e ao sueco Oscar Pedersen.

Ladeado por ambos, o antigo campeão da Rússia em juniores subiu ao lugar mais alto do pódio, e, enquanto tocava o hino italiano, ergueu o braço direito para recriar uma saudação fascista, que está ilegalizada em Itália desde 1952.

"São medidas inevitáveis, dado o gesto imprudente de Severiukhin, que não só demonstrou falta de respeito pelos valores universais, que inspiram o desporto, mas também pela humanidade, dignidade e convivência civil", prossegue o Automóvel Clube de Itália, assegurando que atribuição da licença desportiva ao russo respeitou os regulamentos da Federação Internacional do Automóvel (FIA).

Na segunda-feira, a FIA anunciou a abertura de um processo ao russo e a sua equipa, a sueca Ward Racing, a rescisão de contrato, assumindo-se "profundamente envergonhada com o comportamento do piloto" e pedindo desculpa a todos os que se sentiram ofendidos ou angustiados com o ocorrido.

"Gostaria de pedir desculpas pelo que aconteceu ontem [no domingo] no Europeu de karting. De pé, no pódio, fiz um gesto que muitos entenderam como uma saudação nazi. Mas isso não é verdade, eu nunca apoiei o nazismo e considero-o um dos mais terríveis crimes contra a humanidade. [...] Não consigo explicar como tudo aconteceu. Eu sei que é culpa minha, sei que fui estúpido e estou pronto para ser punido. Mas, por favor, entendam que não apoiei o nazismo ou o fascismo com este gesto", afirmou Severiukhin, num vídeo publicado na sua página oficial no Instagram.

O kartódromo portimonense acolheu entre sexta-feira e domingo a primeira das seis etapas do campeonato europeu de karting, nas categorias de OK e OK-Júnior (entre os 11 e os 15 anos).