"Miguel Oliveira a pilotar é de qualidade extrema", diz diretor da KTM

Miguel Oliveira abraça Pit Beirer durante os festejos da vitória em Barcelona

 foto Rob Gray / Polarity Photo

Pit Beirer mostrou-se entusiasmado com as "linhas limpas" do português do MotoGP e a "Speedweek" revela que a equipa tem opção para 2023 e 2024

"Na pista de Mugello estive a olhar para os pilotos. Que linhas limpas, as do Miguel! Entre ele e a moto, é um conjunto bonito. Tem uma aceleração tão limpa que nunca fica a balancear. O Miguel a pilotar é de uma qualidade extremamente elevada", disse Pit Beirer, diretor da KTM Motorsport, em entrevista à alemã "Speedweek" em que apenas falou do piloto português, que foi o mais rápido no primeiro dia de treinos para o Grande Prémio da Alemanha.

"O Miguel é muito sensível, o que explica as dificuldades que teve no início de época e se refletiram no seu desempenho. Foi um prazer ver como melhorou rapidamente quando conseguimos dar algo para o ajudar. E depois viu-se toda a sua qualidade, como já tinha acontecido o ano passado em Spielberg e Portimão", disse o antigo piloto alemão, referindo-se já ao segundo e primeiro lugares de Miguel Oliveira nas duas últimas corridas.

"Em Mugello notou-se que ele agora tem a moto onde quer. Por isso teve dois fins de semana muito bons, de sexta a domingo. A base para o resultado de domingo começa a ser estabelecida na sexta-feira e ele prepara-se desde o FP1", disse ainda Beirer, com uma revelação: "Miguel não quis pneus novos na primeira sessão de treinos de Barcelona. Ele começou a trabalhar na configuração de corrida logo no FP1, com pneus usados. Pode perder o melhor tempo absoluto, mas já está a trabalhar para a corrida. Por isso esteve extremamente forte nos dois últimos Grandes Prémios".

Na Alemanha, curiosamente, Oliveira foi apenas 12.º no FP1, para ser o mais rápido no FP2, sinal de que mantém a estratégia.

"Esta categoria é tão brutalmente complexa... Planear o fim de semana, ter um plano para o domingo já na sexta-feira, são requisitos", explicou Beirer à "Speedweek", dando de novo o exemplo de Miguel Oliveira: "Ele a equipa examinam todos os dados novamente à noite, ele quer entender tudo. E isso torna-o muito forte. Gostamos disso, mas também adorámos a forma como reagiu aos problemas no Catar. Não arrastou a equipa para o fundo e continuou a trabalhar da mesma forma. Agora vemos os frutos disso".

Sendo todas as 15 vitórias de Oliveira em Mundiais com a KTM, Beirer garante que "nada vai mudar depois de 2022", ano em que termina o contrato. Segundo a "Speedweek", a equipa tem opção para renovar para 2023 e 2024.