Fórmula 1 no Algarve: 28 mil bilhetes já foram vendidos

Fórmula 1 no Algarve: 28 mil bilhetes já foram vendidos
Lusa

Tópicos

O Autódromo Internacional do Algarve (AIA) vai acolher o Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1 no fim de semana de 23 a 25 de outubro, enquanto a prova de MotoGP decorrerá de 20 a 22 de novembro.

Cerca de 28 mil bilhetes já foram vendidos para a corrida de Fórmula 1 no Autódromo Internacional do Algarve (AIA), que também receberá público na última prova do campeonato do mundo de velocidade MotoGP, disse o diretor do circuito.

"Esgotámos os primeiros pacotes, com cerca de 28 mil bilhetes vendidos. Iniciámos a venda com preços a 85 euros e, neste momento, os mais baratos são os de 225 euros", disse Paulo Pinheiro aos jornalistas.

O Autódromo Internacional do Algarve (AIA) vai acolher o Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1 no fim de semana de 23 a 25 de outubro, enquanto a prova de MotoGP decorrerá de 20 a 22 de novembro.

A prova do mundial de velocidade deverá contar, "no mínimo, com 50 mil espetadores, ou no máximo 60 mil, cerca de dois terços da capacidade", prosseguiu, sendo que a venda de ingressos arranca ainda esta segunda-feira.

"Para o MotoGP, vamos iniciar hoje a venda de um primeiro "stock" de 5.000 bilhetes. Depois, em função das regras da Direção-Geral da Saúde, vamos gerindo a venda de mais ingressos", adiantou o diretor do AIA.

No último fim de semana, foram realizados testes no autódromo com a presença de público de forma reduzida na prova do Mundial de Superbikes, antecipando os procedimentos ideais para as outras duas competições.

"Tivemos 250 espetadores num espaço muito reduzido, para verificarmos os procedimentos e regras que devemos implementar. Aprendemos muito, em termos de procedimentos e do modelo que temos de utilizar. Agora vamos extrapolar esse modelo para todo o circuito", afirmou Paulo Pinheiro.

O diretor do circuito garantiu que a saúde das pessoas "está em primeiro lugar" e que, se a situação epidemiológica do país piorar, a presença de público será cancelada.

"Teremos de devolver dinheiro às pessoas e não há público na prova. A saúde está em primeiro lugar, a preocupação é essa. Se a situação permitir, ótimo, é bom para todos. Se não permitir, é uma pena, mas não teremos alternativa", frisou.

Segundo Paulo Pinheiro, as obras de renovação da pista, orçadas em 1,5 milhões de euros, num investimento garantido pelo Turismo de Portugal, vão decorrer entre 31 de agosto e 09 de setembro.

"Uma máquina trituradora vai arrancar quatro centímetros da camada de asfalto. Depois, virá uma máquina pavimentadora, com uma mistura de betume, pedras e uma sílica especial com fibra, que garante a aderência entre betume e pedras para fazer com que o tapete seja homogéneo. Uma máquina de laser faz a leitura da altura absoluta, para que não haja oscilações, e depois tudo tem de ser compactado a uma temperatura de 120 graus para ficar perfeito", explicou o responsável, de forma pormenorizada.