Ricardo Ares: "Não há sorte, há um trabalho que explica as coisas"

Ricardo Ares: "Não há sorte, há um trabalho que explica as coisas"
Redação com Lusa

Tópicos

Declarações do treinador de hóquei em patins do FC Porto após o triunfo, nos penáltis, frente ao Óquei de Barcelos, nas meias-finais da Taça de Portugal.

O jogo: "Foi um jogo com muitas alternativas. Sabemos o perigo que o Óquei de Barcelos cria no ataque. Em algumas alturas estivemos muito bem na defesa, mas faltou fluidez no ataque em alguns momentos. Estar atrás no marcador gera ansiedade nos jogadores e não nos permitiu ter mais jogo como equipa, mas estou muito feliz porque o Barcelos é uma equipa muito difícil de vencer e conseguimos."

Grandes penalidades: "Acredito muito no trabalho, tínhamos treinado as bolas paradas e os guarda-redes. A última decisão de trocar o guarda-redes... Estou muito feliz. O Tiago esteve muito bem. Não há sorte, há um trabalho que explica as coisas."

Final: "Foi muito importante chegar à final. Para o FC Porto, todas as competições em que entra são para ganhar e este era o primeiro passo. Queremos muito este título".