"Não é como no futebol, mas há rumores e temos de viver com isso"

"Não é como no futebol, mas há rumores e temos de viver com isso"

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Augusto Ferro

Tópicos

Hélder Nunes garante que o FC Porto vai ser ainda mais forte e quer começar a época de hóquei em patins com títulos

Hélder Nunes já leva uns bons dias de trabalho na nova temporada e mostra-se confiante quanto à possibilidade de o FC Porto começar bem cedo a lutar por títulos. Os argumentos que têm levado os azuis e brancos a ser uma das referências da modalidade continuam sólidos e essa é uma boa justificação.

"Aqui trabalha-se para ganhar: é este o pensamento que quem joga no FC Porto tem de ter. Aliás, quem chega de novo sente isso logo nos primeiros dias; sente o quão importante é jogar aqui" - foi esta a abordagem que Hélder Nunes fez, levando em conta que a equipa tem três caras novas. Hoquistas que "entraram bem no grupo" e que mereceram uma análise individual: "O Hugo Santos é um miúdo com grande caráter que tem tudo para evoluir. O Poka e o Giulio Cocco são dois "habitués", que estão cá para nos ajudarem a chegarmos aos títulos."

A primeira meta é a Taça Continental, que contará com os finalistas da última edição da Liga dos Campeões e da Taça CERS.No dia 29 o FC Porto defrontará o Lleida, enquanto o Barcelos, que receberá a prova no seu pavilhão, jogará com o Barcelona. É uma presença pouco habitual para os dragões - quatro participações e um triunfo, em 1986 -, o que lhes suscita um só desejo. "É para ganhar. Não costumávamos participar, mas vamos com ambição", garantiu.

A grande empreitada será o Campeonato Nacional, que o FC Porto abordará com a vontade de sempre. "Sem dúvida que é o melhor campeonato do mundo. Não só pelos jogadores que vieram, mas também pelo hóquei que se joga e pela visibilidade que estamos a ter. Os que vierem de fora são bem-vindos se for para melhorar. Há quem se queixe de que os miúdos não conseguem entrar nos quatro candidatos ao título, mas eles têm é de agarrar a oportunidade quando ela chega, como sucedeu comigo", considerou o hoquista, que também deu a opinião sobre as novas regras: "Quem as cria tem o intuito de melhorar a modalidade, mas no ano passado não ajudaram tanto. Por isso retificaram. Custa sempre nas primeiras semanas, mas temos de nos adaptar." Relativamente às dúvidas que podem suscitar no público, Hélder Nunes sabe que "ao princípio será um bocado difícil entendê-las", mas lembra que "é possível fazer consultas na internet e os comentadores na televisão, se forem estudiosos, também irão ajudar".

Por fim, e por falar em público, o avançado do FC Porto lembrou que "o hóquei era a modalidade de todos os portugueses, porque ganhava; cabe-nos voltar a ganhar para chamar adeptos."

Hélder Nunes já leva uns bons dias de trabalho na nova temporada e mostra-se confiante quanto à possibilidade de o FC Porto começar bem cedo a lutar por títulos. Os argumentos que têm levado os azuis e brancos a ser uma das referências da modalidade continuam sólidos e essa é uma boa justificação.

"Aqui trabalha-se para ganhar: é este o pensamento que quem joga no FC Porto tem de ter. Aliás, quem chega de novo sente isso logo nos primeiros dias; sente o quão importante é jogar aqui" - foi esta a abordagem que Hélder Nunes fez, levando em conta que a equipa tem três caras novas. Hoquistas que "entraram bem no grupo" e que mereceram uma análise individual: "O Hugo Santos é um miúdo com grande caráter que tem tudo para evoluir. O Poka e o Giulio Cocco são dois "habitués", que estão cá para nos ajudarem a chegarmos aos títulos."

A primeira meta é a Taça Continental, que contará com os finalistas da última edição da Liga dos Campeões e da Taça CERS. No dia 29 o FC Porto defrontará o Lleida, enquanto o Barcelos, que receberá a prova no seu pavilhão, jogará com o Barcelona. É uma presença pouco habitual para os dragões - quatro participações e um triunfo, em 1986 -, o que lhes suscita um só desejo. "É para ganhar. Não costumávamos participar, mas vamos com ambição", garantiu.

A grande empreitada será o Campeonato Nacional, que o FC Porto abordará com a vontade de sempre. "Sem dúvida que é o melhor campeonato do mundo. Não só pelos jogadores que vieram, mas também pelo hóquei que se joga e pela visibilidade que estamos a ter. Os que vierem de fora são bem-vindos se for para melhorar. Há quem se queixe de que os miúdos não conseguem entrar nos quatro candidatos ao título, mas eles têm é de agarrar a oportunidade quando ela chega, como sucedeu comigo", considerou o hoquista, que também deu a opinião sobre as novas regras: "Quem as cria tem o intuito de melhorar a modalidade, mas no ano passado não ajudaram tanto. Por isso retificaram. Custa sempre nas primeiras semanas, mas temos de nos adaptar." Relativamente às dúvidas que podem suscitar no público, Hélder Nunes sabe que "ao princípio será um bocado difícil entendê-las", mas lembra que "é possível fazer consultas na internet e os comentadores na televisão, se forem estudiosos, também irão ajudar".

Por fim, e por falar em público, o avançado do FC Porto lembrou que "o hóquei era a modalidade de todos os portugueses, porque ganhava; cabe-nos voltar a ganhar para chamar adeptos."

"Sem dúvida que este é o melhor campeonato do mundo"

Durante a época passada, o nome de Hélder Nunes foi várias vezes notícia devido ao interesse manifestado por Sporting e Barcelona na sua contratação. O hoquista não confirmou os rumores, mas comentou os casos: "Quem anda a este nível, tem de estar habituado a estas situações. Não é como no futebol, claro, mas há muitos rumores e temos de viver com isso. Pessoalmente, acho que não me afetou."

Durante a época passada, o nome de Hélder Nunes foi várias vezes notícia devido ao interesse manifestado por Sporting e Barcelona na sua contratação. O hoquista não confirmou os rumores, mas comentou os casos: "Quem anda a este nível, tem de estar habituado a estas situações. Não é como no futebol, claro, mas há muitos rumores e temos de viver com isso. Pessoalmente, acho que não me afetou."