FC Porto pode trocar de técnico com a seleção de Espanha: perceba os detalhes

FC Porto pode trocar de técnico com a seleção de Espanha: perceba os detalhes
Paula Capela Martins

Tópicos

O atual treinador do FC Porto é o homem desejado para selecionador de Espanha, podendo suceder no cargo ao futuro técnico dos dragões. Cabestany aproxima-se de um fim de ciclo no hóquei português

Guillem Cabestany, o técnico que no final da época em curso deixará o FC Porto, é desejado pela Federação Espanhola de Patinagem para ocupar o cargo de selecionador nacional, podendo, assim, substituir Ricardo Ares, o treinador que ocupará o seu lugar ao comando dos dragões.

Cabestany, de 44 anos, poderá ser o líder da equipa espanhola já no Europeu, adiado de 2020 para agosto deste ano (dias 22 a 28), tendo como objetivo revalidar o título conquistado na Corunha, em 2018, na altura com a liderança do atual treinador do Benfica, Alejandro Domínguez.

Natural de Sant Pere de Riudebitlles, na Catalunha, Guillem Cabestany chegou ao FC Porto depois de se ter notabilizado no Vendrell (Espanha), ganhando duas Taças do Rei, e no Breganze, vencendo uma Supertaça de Itália. O catalão está a cumprir a sexta temporada no FC Porto, com o qual conquistou dois títulos nacionais, três Taças de Portugal e quatro Supertaças, tendo disputado duas finais da Liga Europeia, uma perdida em casa para o Barcelona e outra, em Alvalade, para o Sporting. No campeonato português, o técnico fez escola com a sua metodologia, levando muitas equipas a replicarem a sua forma de jogar, reconhecendo-lhe mérito no trabalho desempenhado, sobretudo, a nível defensivo.

Em 2021/22, o lugar no Dragão estará ocupado por Ricardo Ares, de 45 anos, natural de Bilbau e radicado na Catalunha há mais de uma década, pois iniciou-se como treinador principal no Voltregá (2010/11-2015/16). Entre 2017 e 2019, à frente da seleção feminina de Espanha, ganhou dois Mundiais e um Europeu, tendo sido ainda adjunto de Alejandro Domínguez (2017 a 2019), celebrando o Mundial de Nanjing (China), em 2017, e o Europeu da Corunha, em 2018. Depois do Mundial de Barcelona, em 2019, ganho por Portugal, Ares assumiu a seleção, mas não chegou a fazer grandes competições devido à pandemia.

Antes de regressar a casa, Guillem Cabestany lutará pelo título nacional e europeu. No campeonato português é líder e na Europa tem a fase de grupos agendada para meados de abril, depois de a Liga Europeia, adiada desde novembro, ter sido reformulada, contando apenas com nove equipas.