Atleta colombiano de hóquei em linha perde a vida ao impedir violação da namorada

Atleta colombiano de hóquei em linha perde a vida ao impedir violação da namorada

Casal deparou-se, durante uma atividade física numa zona montanhosa de Cali, com um grupo de três assaltantes. Dois deles foram detidos preventivamente e acusados pela justiça

O desporto colombiano vive um momento de choque. Jorge Felipe Tobón Sánchez, internacional colombiano de hóquei em linha, perdeu a vida, aos 25 anos de idade, ao ser assassinado, no passado dia 18 de abril, numa zona montanhosa de Cali.

O ato criminoso, cometido por três assaltantes, ocorreu no morro das "Tres Cruces", onde se exercitava com a namorada. No percurso, foram alvo de uma tentativa de assalto (dinheiro e telemóveis) e, na sequência, Tobón opôs-se à tentativa de violação sexual da companheira.

"O assassinato de um jovem atleta é uma situação muito dolorosa, que condenamos veementemente. Nunca poderá voltar à vida um jovem cujo único objetivo era praticar desporto", disse o Presidente da Câmara de Cali, Jorge Iván Ospina.

A cara-metade do atleta de hóquei em linha, segundo a Imprensa local, terá sido "autorizada" pelos três assaltantes a ir buscar dinheiro. Quando regressou, na companhia de mais pessoas em passeio, que sugeriram chamar a polícia, encontrou Tobón morto.

O então jovem namorado e desportista apresentava ferimentos em várias zonas do corpo, feitos com a utilização de uma faca, e na própria cabeça, onde os assaltantes o atingiram com uma pedra.

A polícia colombiana, chamada ao morro de Cali, iniciou uma operação de busca, aérea e terrestre, para capturar os três assaltantes. Foram encontrados e detidos apenas dois, ambos com cadastro e de nacionalidade venezuelana, próximos à zona do crime e na posse de uma arma.

O Ministério Público do país sul-americano, refere a Imprensa local, acusou a dupla delinquente, detida preventivamente, de homicídio agravado, rapto simples, tentativa de roubo agravado e atos sexuais abusivos.

Tobón Sánchez, falecido aos 25 anos, praticava hóquei em linha desde os 13. A qualidade tida fê-lo atuar, mais do que uma vez, pela seleção colombiana. Atuava na Liga Vallecaucana de patinagem. O funeral realizou-se na passada terça-feira.