Ricardinho emociona-se em Gondomar e deixa pedido

Ricardinho emociona-se em Gondomar e deixa pedido
João Maia

Tópicos

Ricardinho foi homenageado pela Câmara Municipal de Gondomar, autaquia da sua terra natal, Valbom, distrito do Porto, em cerimónia que decorreu no salão nobre, pequeno para tanta gente que se quis associar.

Emocionado pelo ato, o capitão da seleção portuguesa que ergueu o troféu no sábado na Eslovénia, após bater a Espanha na final por 3-2, apresentou-se "mal da garganta, além de lesionado", emocionou-se quando falou nos filhos e nos pais e sublinhou que "nunca sentiu nada na vida como quando ganhou o troféu com a camisola de Portugal".

Pelo meio, agradeceu a Carolina Silva, a sua "tutora desportiva" e responsável pela sua entrada no futsal, quando, ainda muito jovem, ingressou no Gramidense, que também compareceu ao evento.

No seu breve discurso a terminar a cerimónia deixou um pedido" "não fiquem com reconhecimento só ao Ricardinho, mas sim a Portugal, que foi quem ganhou o troféu". Além disso, sublinhou ser a mesma pessoa humilde desde que saiu de Valbom. "Não subiu nada a cabeça, as pessoas reconhecem este Ricardinho humilde, batalhador e trabalhador que ajuda e que fala com toda a gente", atirou.

Das mãos do presidente da câmara, Marco Martins, recebeu um exemplar da Rota da Filigrana, com o autarca a fazer dele embaixador dessa marca gondomarense e, em troca, ofereceu à autarquia a sua camisola da seleção.
Na sua intervenção, o autarca recordou a atribuição ao jogador, em 2016, da Medalha de Grau Ouro Desportivo, e a recente decisão de batizar com o nome de Ricardinho o Pavilhão Municipal de Valbom, mostrando ainda vontade perante o vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol Hermínio Loureiro, de que "Gondomar venha a tornar-se na capital nacional do futebol".
Ao desejo expresso pelo autarca de receber a próxima final da Taça de Portugal de futsal, o dirigente federativo respondeu com a promessa de que "em 2018, 2019 e 2020 a câmara poderá contar com a FPF para a organização dos eventos e estágios que forem possíveis", assim "renovando uma parceria que já dura há alguns anos", disse.

Sobre Ricardinho, Hermínio Loureiro afirmou-se convicto que a cerimónia de hoje vai repetir-se porque o "talento" do capitão de Portugal vai continuar a dar "muitas alegrias" ao país. "Por detrás desta qualidade há muito esforço, sacrifício e trabalho", salientou o dirigente de um jogador que considerou o "responsável por milhares e milhares de jovens em todo o mundo praticarem a modalidade".