Cássio: dos testes no Moreirense a goleador por acaso

Cássio: dos testes no Moreirense a goleador por acaso
João Maia

Tópicos

Pivô do Braga/AAUM abriu a Liga com um hat-trick. Brasileiro recordou como começou a jogar futsal

A temporada 2019/20 começou bem para o Braga/AAM, que recebeu e goleou o Futsal Azeméis por 7-2. O pivô Cássio, que está a completar dez anos de carreira em Portugal, marcou três golos, num início de época bem diferente da época passada, na qual os arsenalistas só venceram à quinta jornada. "Fizemos uma boa pré-época e isso é meio caminhado andado para começarmos bem o campeonato", explicou.

Os minhotos têm os objetivos bem definidos, embora continue a faltar a conquista de um troféu. "Queremos ficar em terceiro ou quarto. Temos plantel para isso. Troféus? O sonho é sempre esse. O André Machado, que era o nosso capitão, não pôde encerrar a carreira com uma conquista. Vou fazer de tudo para o conseguir pois é algo que falta ao clube", afirmou.

Cássio chegou a Portugal em 2010 e não troca o país por nada. "Tive convites para sair, mas sinto-me bem em Portugal. Além disso, gosto de Braga, tenho boas condições e vivo muito bem por cá", comentou.

No Brasil, Cássio divida-se entre o futsal e o futebol. Em Portugal, a entrada na modalidade aconteceu quase por acaso. "Estava de férias com a minha família na Figueira da Foz. Tinha ido fazer testes ao Moreirense, mas não tinha dado certo. Recebi, então, um convite para jogar futsal e a partir daí foi sempre a subir na carreira", recorda o goleador que representou o Sporting em 2014/15.