Benfica sobre a Ronda de Elite: "É o primeiro momento-chave da temporada"

Benfica sobre a Ronda de Elite: "É o primeiro momento-chave da temporada"
Redação com Lusa

Tópicos

As águias, que vão ser anfitriãs do Grupo D, estreiam-se nesta fase da competição na quarta-feira, diante dos húngaros do Haladás

O treinador do Benfica assumiu esta segunda-feira que a Ronda de Elite da Liga dos Campeões de futsal é "um momento-chave" na época dos encarnados, que vão tentar apurar-se para a final four da prova cinco épocas depois.

"É o primeiro momento-chave da temporada, porque podemos alcançar um objetivo, que é, pelo menos, estar na final four. Temos de ganhar de qualquer forma, é muito importante para nós", afirmou Pulpis, em conferência de imprensa.

As águias, que vão ser anfitriãs do Grupo D da Ronda de Elite, estreiam-se nesta fase da competição na quarta-feira, diante dos húngaros do Haladás, num grupo que integra ainda os ucranianos do Uragan Ivano-Frankovsk e os espanhóis do Levante.

"O objetivo é ganhar. É um grupo muito complicado, mas seria hipócrita se dissesse que não somos favoritos, porque somos o Benfica e, depois, porque jogamos em nossa casa. Não podemos pensar que vai ser um passeio. Gostaria de contar com os nossos adeptos, apesar das restrições que foram impostas agora. É o momento de voltarmos à final four", referiu.

De acordo com o técnico espanhol, o primeiro adversário, o Haladás, tem "jogadores muito experientes, de seleção, e é uma equipa forte fisicamente", que vai "exigir um esforço grande" por parte do Benfica.

"Nestes torneios, sabemos que o primeiro jogo acarreta alguma tensão, alguma ansiedade. Não vai ser um jogo fácil", observou, antes de analisar Uragan e Levante: "As equipas ucranianas são muito sólidas, jogam sempre ao mesmo ritmo, e Levante é o vice-campeão de Espanha".

Pulpis considerou que o Benfica está entre as "quatro ou cinco equipas com capacidade para lutar pela prova", vincando, contudo, que são os detalhes que fazem a diferença neste tipo de torneios tão curtos.

"Os pequenos detalhes é que fazem a diferença e é preciso estar bem no momento certo. Só passa uma equipa à final four, portanto é preciso estarmos bem nos três jogos do grupo. Somos uma das melhores equipas da Europa e não somos inferiores a nenhuma das principais equipas desta competição", disse.

Já o internacional russo Robinho afirmou que "é fundamental" os encarnados entrarem bem logo no primeiro jogo e seguirem "passo a passo", naquela que considera ser uma "fase difícil" e na qual não há "tempo para tropeçar".

"As equipas têm qualidade e vão dificultar a nossa tarefa ao máximo. É um torneio de tiro curto, em que não dá para errar. É uma competição na qual quem erra menos, vence, e nem sempre vence o melhor", disse o capitão benfiquista.

O ala internacional russo fez ainda um raio-x do Grupo D da Ronda de Elite, apontando o Levante como o adversário mais complicado.

"Joguei muito tempo na Rússia e joguei várias vezes contra equipa ucranianas. São equipas parecidas com as russas, são frias a jogar. Podem estar a perder, mas continuam a jogar da mesma forma. A equipa da Hungria não conheço muito bem. Os mais difíceis parecem-me ser os espanhóis, pela tradição que têm no futsal. São jogadores conhecidos internacionalmente e todos conhecemos a Liga espanhola. O Levante é a equipa mais difícil do grupo", analisou.

O Benfica estreia-se no Grupo D na quarta-feira, frente ao Haladás (20h00), e no dia seguinte defronta os ucranianos do Uragan Ivano-Frankovsk (20h30), antes de encerrar a participação na Ronda de Elite no domingo, diante do Levante (20h00).

Todos os jogos do Grupo D serão realizados no pavilhão do Estádio da Luz.