Ricardinho aborda futuro na seleção e clube: "Se o ACCS não subir para a primeira..."

Portugal sagrou-se campeão mundial de futsal

 foto EPA

Português, campeão do mundo de futsal, em entrevista concedida ao jornal "Marca".

Descanso: "Agora preciso de um tempo para mim. Falei com o clube e não é fácil. Preciso de recuperar o tempo que dediquei ao Campeonato do Mundo. Estou psicologicamente exausto. Treinei e fisicamente estou bem, mas psicologicamente não."

Futuro: "O meu objetivo já não passa por ser o melhor ou conquistar o que seja. O que eu fiz está feito. Agora a ideia é ficar pelo menos até dezembro - é a primeira vez que falo disto - para que eles tenham a oportunidade de corrigir tudo o que esteve mal economicamente este ano. Vou dar-lhes uma oportunidade. Se em dezembro as coisas não estiverem a correr como ambos queremos, procurarei outra equipa para jogar por empréstimo. Se o ACCS não subir para a primeira divisão, eu ficarei noutro clube. Tenho muitas ofertas de Portugal, Espanha, Rússia, Itália, Brasil... Parece que as pessoas voltam a acreditar, mas a minha mulher não tem muita vontade de mudar."

Seleção: "Não posso dizer muito sobre isso. Nas próximas duas semanas, no máximo, darei uma conferência de Imprensa para falar sobre o futuro. Não quero arrastar a minha decisão por muito tempo. Preciso de tempo para descansar, falei com todos com os quais tinha de o fazer. Tenho uma decisão tomada. Penso que é uma boa altura para o dizer, mas vai depender muito do que a minha cabeça disser. Tenho as coisas claras, mas ainda ficam algumas dúvidas."