"Hoje, podemos brilhar desta maneira, pois houve alguém que nos deu a mão"

Afonso Jesus

 foto André Sanano/FPF

Declarações de Afonso Jesus, jogador da seleção portuguesa de futsal.

O jogador Afonso Jesus afirmou esta terça-feira que a seleção portuguesa de futsal se encontra "a crescer" com o Europeu'2022, esperando, no entanto, um jogo "muito disputado" com a Ucrânia, na última ronda do grupo A.

"Não tenho muita experiência em Europeus e Mundiais, mas o primeiro jogo costuma ser difícil. Sofremos um bocadinho com isso, mas estamos a crescer com a competição, com dois excelentes jogos e resultados. Tem sido à imagem do que somos, da maneira como treinamos e nos relacionamos, à imagem de Portugal", realçou, aos jornalistas.

A equipa das quinas viajou esta terça-feira para a cidade neerlandesa de Groningen, vinda de Amesterdão, tendo treinado ao final da tarde no pavilhão Windervanckhal, a cerca de 40 quilómetros da unidade hoteleira onde Portugal e outras seleções estão instaladas.

"Estou muito feliz, por estarmos neste espaço e conseguir realizar alguns dos nossos objetivos. É um sonho representar Portugal, seja em que competição for. A nível coletivo, penso que estamos a fazer um excelente trabalho, fiéis ao nosso processo e a ser Portugal", expressou o fixo/ala do Benfica, com dois golos apontados no torneio.

Os campeões europeus e mundiais em título defrontam a Ucrânia na derradeira ronda do agrupamento, depois de triunfos perante Sérvia (4-1) e os anfitriões Países Baixos (4-2), com o apuramento para os "quartos" da prova encaminhado, mas não fechado.

"A Ucrânia é uma seleção muito competitiva e com princípios de jogo muito claros. São jogadores agressivos e fortes fisicamente. Para além do que a Ucrânia pode fazer, mais importante é focarmo-nos em nós e impor o nosso jogo, de forma a vencer", analisou.

Aos 24 anos, Afonso Jesus é um dos principais rostos da nova geração de atletas lusos que desponta no futsal do país, contando com oito golos em 28 internacionalizações ao serviço do conjunto principal de Portugal, comandado pelo selecionador Jorge Braz.

"As camadas jovens dão-nos possibilidade de estarmos muito bem preparados para os AA. Quando cá chegamos, temos sempre um apoio fantástico e somos integrados da melhor maneira possível. As pessoas são de muito caráter e sempre prontas a ajudar. Hoje, podemos brilhar desta maneira, pois houve alguém que nos deu a mão", contou.

Portugal defronta a congénere ucraniana na sexta-feira, na terceira ronda do grupo A, na Martiniplaza, em Groningen, a partir das 20:30 locais (19:30 em Lisboa), à mesma hora a que se disputa o outro encontro do agrupamento, entre Países Baixos e Sérvia.

Líderes isolados, com seis pontos, os portugueses podem 'carimbar' o apuramento até mesmo com uma derrota, de até quatro golos de diferença, sendo que se qualificam automaticamente no caso de os Países Baixos não vencerem a sua partida. Os anfitriões e os ucranianos têm três pontos, enquanto os sérvios ainda não pontuaram na prova.