Volta a Portugal: McGill ganha ao sprint na Maia

Volta a Portugal: McGill ganha ao sprint na Maia
Redação

Tópicos

Norte-americano repetiu o triunfo de Elvas, em nova grande luta com João Matias. Frederico Figueiredo continua de amarelo

Scott McGill (Wildlife Generation) venceu ao sprint a sexta etapa da 83.ª Volta a Portugal, na Maia, após 159,9 km desde Águeda, batendo João Matias (Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados) e António Carvalho (Glassdrive-Q8-Anicolor). A tirada foi animada por uma fuga de oito homens, mas nunca atingindo uma vantagem que lhes permitisse chegar isolados. Frederico Figueiredo (Glassdrive-Q8-Anicolor) manteve a camisola amarela.

Foi mais um dia de transição na Volta, sem muitas preocupações para os primeiros da geral, dado o percurso essencialmente plano.

A fuga do dia formou-se depois de Oliveira de Azeméis, com Keegan Swirbul (Human Powered Health), Unai Cuadrado (Euskaltel-Euskadi), Tiago Antunes (Efapel Cycling), Luís Gomes (Kelly/Simoldes/UDO), Hugo Nunes (Rádio Popular-Paredes-Boavista), Márcio Barbosa (ABTF Betão-Feirense) e José Mendes (Aviludo-Louletano-Loulé Concelho), juntando-se depois Rafael Lourenço (Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel).

Os escapados ainda passaram à frente na primeira volta do circuito traçado na Maia, mas a seis quilómetros do final foram apanhados José Mendes), Hugo Nunes e Luís Gomes, aqueles que ainda resistiam.

Robin Carpenter (Human Powered Health) e Txomin Juaristi (Euskaltel-Euskadi) isolaram-se em pleno circuito, a cinco quilómetros do desfecho, mas à entrada da reta da meta o pelotão voltou a ficar compacto.

O sprint começou com Mauricio Moreira a lançar o seu jovem colega Fábio Costa, mas McGill e João Matias aceleraram de forma imparável do outro lado da meta, acabando António Carvalho, que os seguiu, por ser o terceiro.

Na geral nada mudou, continuando Frederico Figueiredo a ter 7 segundos de vantagem sobre o seu colega Mauricio, estando Luís Fernandes, da RP-Boavista, a 38 segundos do melhor dos dois Glassdrive-Q8.

Amanhã a Volta terá 150,1 quilómetros entre Santo Tirso e Braga, que serão animados por uma subida ao Sameiro a 8,5 quilómetros da meta final.