Rui Oliveira termina no top-10 da corrida de scratch nos Mundiais de ciclismo de pista

Rui Oliveira termina no top-10 da corrida de scratch nos Mundiais de ciclismo de pista
Redação com Lusa

Tópicos

Português e campeão europeu da disciplina ficou afastado da discussão das medalhas devido ao perigo de queda nas últimas voltas, o que condicionou o posicionamento

O ciclista Rui Oliveira foi, esta quinta-feira, décimo classificado na prova de scratch dos Mundiais de ciclismo de pista, na cidade francesa de Roubaix, numa especialidade em que é campeão europeu.

Em Roubaix, o campeão europeu da disciplina fechou o "top 10" de uma prova com muitas movimentações, com as últimas três voltas, de colocação para o "sprint" final da corrida de 15 quilómetros - 60 voltas ao velódromo -, a marcaram o desfecho final.

O perigo de uma queda acabou por afetar Oliveira, que "marcava" o italiano Elia Viviani, e afastá-lo da discussão das medalhas, na qual o mais forte foi o francês Donavan Grondin, novo campeão do mundo com autoridade, à frente do belga Tuur Dens, prata, e o britânico Rhys Britton, bronze.

"Felizmente, a queda evitou-se, mas perdeu-se o posicionamento. No cômputo geral, considero que o Rui teve um bom desempenho, sempre atento e concentrado. Estou satisfeito", declarou o selecionador, Gabriel Mendes, citado pela Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC).

O ciclista gaiense deu início à participação portuguesa nos Mundiais de Roubaix, dada a lesão de Maria Martins, que esta quinta-feira também não marcou presença na prova de eliminação.

A intenção é poupar a atleta olímpica, a contas com uma lesão, para a prova de sexta-feira no omnium, concurso olímpico em que foi sétima em Tóquio2020. "Tata" será "avaliada pelo diretor clínico da federação durante a manhã", garante comunicado da FPC.

Na perseguição individual, estarão em prova os outros dois convocados, Iúri Leitão e João Matias.