"Roglic só teve uma fraqueza", analisa Alberto Contador a O JOGO

"Roglic só teve uma fraqueza", analisa Alberto Contador a O JOGO
Frederico Bártolo

Tópicos

O ex-ciclista espanhol acredita que o esloveno manterá a camisola vermelha até Madrid e até afirma que a Jumbo-Visma pode bem ombrear com a Ineos em 2020

Para Alberto Contador, vencedor de sete Grandes Voltas, a Vuelta'2019 está entregue. Em declarações à Eurosport e cedidas em exclusivo a O JOGO,o pistoleiro diz que a superioridade de Primoz Roglic (Jumbo-Visma) tem sido constante, destacando o contrarrelógio da décima etapa como o primeiro grande sinal de que a corrida lhe ficaria favorável: "Tem estado muito sólido. Só teve uma ligeira fraqueza em La Cubilla, na 16.ª etapa. Foi-lhe difícil fechar o espaço para Miguel Ángel López (Astana) e Tadej Pogacar (UAE), mas não perdeu tempo. Também teve problemas ontem, devido ao vento, mas também a Movistar conseguiu deixá-lo sem colegas. Acabou por salvar o dia. Estava tudo apertado, mas desde o contrarrelógio [no qual Roglic tirou mais de 1m30s aos maiores rivais] ele ganhou espaço. Alcançou uma vantagem maior do que se apontava."

Elegendo Pogacar, agora quinto na prova, como a maior surpresa, Contador ainda espera ataques. "O Pogacar foi a revelação, ainda luta pela juventude e pode atacar. O Nairo Quintana e o Alejandro Valverde (Movistar) são os que estão mais perto do primeiro lugar. Se querem ganhar, têm de atacar, mas infelizmente têm estado contentes com o pódio. Felizmente, ainda temos o Miguel Ángel López, que não só quer o pódi,o como gosta de ser ofensivo", comenta o espanhol, que venceu três vezes a Vuelta.

Para fim de conversa, Contador perspetiva o duelo Ineos-Jumbo para 2020, isto porque os holandeses terão ainda Tom Dumoulin, vencedor do Giro'2017, para aumentar o lote para as Grandes Voltas, num orçamento de 25 milhões de euros que já pode rivalizar com os 40M€ dos britânicos: "Penso que a Jumbo pode fazer frente à Ineos, sim. Ainda não chega aos calcanhares da Ineos no patamar financeiro, mas com o nível de ciclistas que terão em 2020 e com a performance que têm alcançado, poderão ser os principais rivais da equipa de Chris Froome."