"Vi alguém que ficou gravemente lesionado, vi bicicletas partidas..."

"Vi alguém que ficou gravemente lesionado, vi bicicletas partidas..."

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Declarações de Rafael Reis (líder da geral individual) no final da primeira etapa da 83.ª Volta a Portugal em bicicleta, disputada hoje entre Vila Franca de Xira e Elvas, no total de 193,5

Sobre a queda: "Mesmo na placa dos últimos três quilómetros, estava um estreitamento muito perigoso. E, depois, aquilo foi uma confusão: muita gente fora do separador, fora da barreira dos três quilómetros. Depois, entraram numa rotunda outra vez, depois saíram. Acabou por haver uma queda à falta de dois, ia-se a muita velocidade. Houve alguém que ficou gravemente lesionado, vi bicicletas partidas, e eu acabei por me conseguir salvar. Levei só uma canelada".

As coisas são imprevisíveis: "Mas está tudo bem, salvámos o dia. Amanhã [sábado], espera-se um dia quente novamente - hoje, foi só do meio para a frente. Amanhã é outro dia e esperamos manter a amarela. As coisas são imprevisíveis. Imaginem que a queda tinha sido a quatro quilómetros da meta, e já tinha de tentar entrar."

Trabalho de equipa: "Acabámos por fazer um grande trabalho de equipa. O Afonso [Eulálio] e o Fábio [Costa] estiveram soberbos, se calhar até um bocadinho de mais, porque a fuga estava sempre muito perto. São dois jovens de muito valor, que um dia vão estar no meu lugar, seguramente, se calhar até melhor."

Distribuir: "Não é nada que eu não esteja habituado [a distribuir bidons pelos companheiros]. Sei para o que é que vim nesta Volta a Portugal. Sei quem são os líderes, isso é claro. Sei o que se vai passar no dia da Torre [ri-se], isso é claro. Não escondo nada. O meu objetivo nesta Volta é o mesmo do ano passado: levar os meus líderes o melhor possível e de maneira a que eles gastem menos e que não estejam envolvidos em quedas".