"Quintana pode partir, segundo o regulamento, mas também respeitaremos a equipa"

"Quintana pode partir, segundo o regulamento, mas também respeitaremos a equipa"
Redação com Lusa

Tópicos

Organização da Vuelta respeitará decisão da Arkéa Samsic sobre inclusão do ciclista colombiano, desclassificado do Tour.

A organização da Volta a Espanha vai respeitar a decisão da Arkéa Samsic quanto à inclusão de Nairo Quintana na equipa, após o ciclista colombiano ter sido desclassificado da Volta a França, por uso de tramadol, disse esta quarta-feira o diretor.

"Remetemo-nos ao comunicado da União Ciclista Internacional. Quintana pode partir, segundo o regulamento, mas também respeitaremos a equipa", declarou Javier Guillén à agência noticiosa espanhola EFE.

Esta notícia, admitiu, "não é a melhor", na véspera do arranque da 77.ª edição da prova, a partir de Utrecht, nos Países Baixos.

Nairo Quintana, de 32 anos, vencedor da Volta à Espanha, em 2016, e da Volta à Itália, em 2014, além de por duas vezes segundo no Tour, em 2015 e 2013, integra o pelotão da Vuelta no seio da equipa francesa.

Foi sexto na edição deste ano do Tour e hoje foi desclassificado por violação das regras médicas da União Ciclista Internacional (UCI), por uso de tramadol.

A utilização de tramadol, um analgésico, é proibida em competição com o objetivo de proteger a segurança e a saúde dos ciclistas à luz dos efeitos colaterais desta substância.

O ciclista colombiano pode apelar da decisão da UCI para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) nos próximos 10 dias.

De acordo com o comunicado da UCI, as análises de duas amostras de sangue seco fornecidas pelo ciclista colombiano nos dias 8 e 13 de julho, durante o Tour de 2022, "revelaram a presença de tramadol e seus dois principais metabolitos".

A 77.ª edição da Volta a Espanha arranca sexta-feira nos Países Baixos e termina em 11 de setembro em Madrid, com a participação de três portugueses: João Almeida e Ivo Oliveira, da UAE Emirates, e Nelson Oliveira, da Movistar.