"Quero desfrutar desta bonita realidade de ter a camisola rosa"

"Quero desfrutar desta bonita realidade de ter a camisola rosa"

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Redação com Lusa

Tópicos

Juan Pedro López, líder da Volta a Itália, assumiu que ficar no top 5 final já seria "um sonho"

O ciclista espanhol Juan Pedro López, líder da Volta a Itália, assumiu que ficar no top 5 final já seria "um sonho", considerando difícil conquistar a classificação da juventude devido à oposição de João Almeida.

"Vou dia a dia, e não quero apontar a nenhum lugar final. Quero desfrutar desta bonita realidade [ter a camisola rosa] diariamente e, para isso, darei tudo em cada quilómetro. O resultado que vier, será bom, mas um top 5 seria mais do que um sonho. Estar vestido de rosa já é um sonho, nunca tinha imaginado algo assim", disse o jovem da Trek-Segafredo.

Em declarações à imprensa, no segundo dia de descanso do Giro, que comanda com 12 segundos de vantagem sobre o português João Almeida (UAE Emirates), o espanhol de 24 anos confessou que gostaria de ganhar uma etapa nesta edição da corsa rosa, uma missão dificultada pelo facto de ser o líder da geral.

"Pensámos em atacar de longe para procurar uma etapa para o [Giulio] Ciccone, que é um corredor forte e, quem sabe, até se pode intrometer na luta pela geral. Eu, com a maglia rosa, já não consigo tentar surpreender desde longe, vão-me controlar. Ainda assim, podem surgir oportunidades e vou tentar. Nunca venci como profissional", notou o andaluz.

Ciclista sensação da 105.ª Volta a Itália, Juan Pedro López sabe que mesmo a camisola da juventude pode ser uma miragem devido à concorrência do seu vice na geral, "que pode aspirar ao mesmo" objetivo - Almeida foi terceiro naquela classificação em 2020, quando foi quarto na geral final, e quarto no ano passado, numa edição em que foi sexto.

"Já estou contente por ter a camisola rosa", rematou.