Portugueses extraordinários - 3º lugar: Rúben Guerreiro não vai ficar por aqui

Portugueses extraordinários - 3º lugar: Rúben Guerreiro não vai ficar por aqui

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Carlos Flórido

Tópicos

O JOGO selecionou 12 atletas e equipas como autores das maiores proezas do ano e os leitores votaram nas suas preferidas em www.ojogo.pt. Rúben Guerreiro, ciclista da EF Pro Cycling conquistou o terceiro posto com 8,4 por cento dos votos.

"Não tenho esse pensamento, o de ser protagonista das corridas. Se tivesse de escolher, seria os dois", diz Rúben Guerreiro sobre a euforia gerada pelo seu desempenho e o de João Almeida na Volta a Itália. Ele explica que agora, quando treina, os carros que passam "apitam, são pessoas que já me conhecem". Nem todas, pois o corredor de Pegões foi operado no passado sábado a uma clavícula fraturada, precisamente por ter colidido com um automóvel que não respeitou a prioridade dos ciclistas.


Vencendo uma das mais difíceis etapas do Giro, na subida a Roccaraso, Guerreiro interrompeu um jejum de triunfos nacionais que durava desde 1989, ano da última das três conquistadas por Acácio da Silva. Ainda mais importante, o corredor vestiu a camisola da liderança da montanha, andado vários dias em fuga para mais tarde a reconquistar, envergando-a no final. Foi o primeiro português a ficar com a camisola de uma Grande Volta, pois Fernando Mendes (vencedor das metas volantes na Vuelta de 1976) e Acácio da Silva (sprints especiais na Vuelta de 1991), únicos a conquistar classificações do género, não tiveram direito a camisola. O Giro do corredor da EF Pro Cycling foi histórico, mas... havia Almeida como outro protagonista.
"Isto não vai ficar por aqui", garante o desembaraçado ciclista, que tem as ambições futuras bem definidas: "Gostava de também levantar os braços numa Volta a França ou no Campeonato do Mundo, isso é que seria espetacular!".
Qualidades não faltam a Rúben. Emigrado desde 2015, já impressionava nas estradas nacionais com 20 anos, dando luta aos profissionais nos anos em que era orientado por Manuel Correia. Excelente trepador e explosivo nos finais, limitou-se a provar em Itália o que se dizia dele: é um craque!

>> Ciclismo
Rúben Guerreiro
EF Pro Cycling
26 anos | Pegões
>> Feitos em 2020
Venceu etapa na Volta a Itália, foi primeiro português a conquistar uma camisola (montanha) em Grandes Voltas
>> Ambição para 2021
Ganhar uma etapa na Volta a França