Lance Armstrong: prisão e ruína?

Lance Armstrong: prisão e ruína?

Ao confessar que recorreu ao doping para ganhar sete edições do Tour, ex-ciclista sujeita-se a prisão nos Estados Unidos, onde perjúrio é considerado crime.

Mesmo que as confissões de Lance Armstrong, na entrevista concedida a Oprah Winfrey, não tenham detalhado, em termos de organização, como conseguiu ludibriar tudo e todos no mundo do ciclismo entre 1999 e 2005, ao vencer sete edições da Volta a França, a partir de agora está sujeito a processos judiciais movidos por várias entidades. Para já, crê-se que poderá, inclusive, vir a ser alvo de pena de prisão, já que nos Estados Unidos o perjúrio [falso juramento] é um delito penal e em 2005 Armstrong declarou sob juramento que nunca se havia dopado. No entanto, persistem algumas dúvidas no plano jurídico, porque, conforme sublinharam alguns especialistas, esse depoimento foi feito num tribunal de Dallas e, de acordo com a lei texana, o delito por perjúrio prescreve ao fim de três anos.

"Só num dia perdi 75 milhões de dólares e esse dinheiro nunca mais volta", disse o ex-ciclista durante a entrevista à apresentadora televisiva Oprah Winfrey, aludindo à perda de patrocínios (Nike, Trek, Oakley, etc.) logo que foi tornado público o relatório da USADA (Agência Norte-Americana Antidopagem).

É provável que a US Postal, o serviço postal dos Estados Unidos, empresa estatal que patrocinou a equipa em que correu Armstrong com 22,5 milhões de euros, venha a processá-lo e exigindo ser indemnizada, tal como a seguradora SCA (pagou-lhe 10 milhões de euros pelas sete vitórias no Tour), entre muitas outras.

A organização da Volta a França vai, ao que tudo indica, exigir-lhe também a devolução dos montantes ganhos (mais de dois milhões de euros) nas suas participações, tal como o governo australiano pelo dinheiro cobrado para conmpetir npo Tour Down Under.

Em suma, o verdadeiro calvário de Lance Armstrong, depois de ter sido protagonista daquele que já é considerado o maior e mais sofisticado sistema de doping organizado no mundo do desporto, começará agora e pode, quem sabe, levá-lo à ruína.