João Almeida quer o "pódio" e conta com "30 segundos" no crono

João Almeida quer o "pódio" e conta com "30 segundos" no crono
Redação

Tópicos

Entrevista do ciclista português ao jornal espanhol "As".

No terceiro posto da geral do Giro, realizadas que estão 12 etapas da prova, João Almeida conversou com o jornal espanhol "As" e falou sobre as ambições na geral individual.

"O pódio é o objetivo, mas se estiver entre os cinco primeiros ficarei feliz. Se não fizer pódio será por má sorte ou porque os rivais estão mais fortes. Darei tudo o que tiver", garantiu o ciclista português da UAE Emirates.

A estratégia para as próximas etapas está definida. "Se estiver bem, tentarei atacar para ganhar tempo. Quando estou bem sou ofensivo. No final ganhará o melhor, mas é preciso aproveitar as oportunidades", disse.

Na memória está ainda a subida ao Blockhaus, na qual Almeida sofreu, mas conseguiu colar-se a Carapaz, Mikel Landa e Ramain Bardet. "Era muito bom para mim. Os últimos 300 metros era ideais para sprintar, mas no final o que conta são as pernas. Há etapas muito duras pela frente", anotou, explicando que na referida tirada teve um contratempo que o prejudicou.

"Mudei de bicicleta", contou, referindo que nem sempre se sente bem quando se vê na necessidade de o fazer durante a etapa. "Continuo com confiança. Não estava com boas pernas e consegui estar com eles, apesar de sofrer um pouco. Penso que os posso acompanhar", afirmou.

O Giro termina com um contrarrelógio, especialidade na qual Almeida costuma dar cartas e pode ser decisiva nas contas finais. "Pela experiência que tive nos dois últimos Giros, embora seja bom no contrarrelógio, vi que todos chegámos mortos a essa etapa. Trata-se das forças que nos restam, depois de tantos dias. No primeiro crono deste Giro estive bem, mas não corri riscos nas curvas", explicou, indicando que pode ganhar "no máximo 30 segundos", porque "os rivais estão muito fortes".