Iúri Leitão perde medalha histórica no último de 10 sprints

Iúri Leitão perde medalha histórica no último de 10 sprints
Redação

Tópicos

Português chegou à quarta e última prova do omnium do Mundial de pista na terceira posição e só foi batido, por Elia Viviani, no derradeiro sprint.

O vianense Iúri Leitão só falhou na última das 100 voltas da corrida por pontos do concurso de omnium do Mundial de pista uma medalha que seria histórica para o ciclismo português, por se tratar de uma das mais importantes provas olímpicas.

Sendo quarto no scratch, segundo na corrida por tempo e oitavo na eliminação, Leitão chegou à última das quatro provas do omnium do velódromo de Roubaix com 98 pontos, apenas atrás do britânico Ethan Hayter, que tinha 114 e se viria a sagrar campeão mundial, e do neozelandês Aaron Gate, que somava 108 e ficou com a prata.

O português defendeu-se muito bem e foi dos que mais atacou na longa corrida por pontos, subindo o seu total aos 117 ao puxar muito e pontuar nos sprints finais - Hayter ganhou uma volta e foi aos 170, Gate subiu aos 124.

No último dos 10 sprints, que tinha pontuação a duplicar, o italiano Elia Viviani atacou e ganhou, passando a totalizar 121 pontos e deixando o jovem Leitão no quarto lugar. Viviani, profissional da Cofidis, foi campeão olímpico de omnium no Rio'2016.