Campeão mundial de ciclocrosse também é rei no sprint e vence clássica

Campeão mundial de ciclocrosse também é rei no sprint e vence clássica

Ciclista holandês Mathieu van der Poel (Corendon-Circus) venceu ao sprint a clássica La Flèche Brabançonne.

O ciclista holandês Mathieu van der Poel (Corendon-Circus) venceu ao sprint a clássica La Flèche Brabançonne, batendo sobre a meta o francês Julian Alaphilippe (Deceuninck-Quick Step), segundo classificado. Van der Poel, que, aos 24 anos, é campeão holandês de ciclismo de estrada e campeão mundial de ciclocrosse, cortou a meta ao fim de 4:35.11 horas, necessárias para cumprir os 196,2 quilómetros entre Leuven e Overijse.

O holandês atacou em conjunto com Alaphilippe e dois outros corredores, que viriam a cortar a meta com o mesmo tempo, sendo que o campeão de 2018, o belga Tim Wellens (Lotto Soudal) foi terceiro e o australiano Michael Matthews (Sunweb), que se queixou de ser 'encostado' às barreiras no 'sprint' final, terminou no quarto lugar.

O campeão europeu e mundial de ciclocrosse, que falhou Paris-Roubaix porque a equipa, de fora do escalão WorldTour, não recebeu um convite, recuperou da melhor forma e conseguiu novo triunfo na estrada, no primeiro ano enquanto sénior, em que aposta na disciplina.

"Estou muito feliz e também muito orgulhoso de ter batido três nomes grandes na frente. É como um sonho. Esta é a corrida, dentro do programa das clássicas, em que me encaixo melhor e fico feliz de o poder provar", explicou, no final da prova.

A regressar à competição depois de ter sofrido um choque com um camião, em Braga, o português Rui Costa (UAE Emirates), que se estreou na prova, acabou no 22.º lugar, a 18 segundos do grupo que discutiu a vitória, enquanto o colega de equipa e compatriota Ivo Oliveira foi 99.º, a mais de 12 minutos.

A próxima grande clássica no calendário é a prova WorldTour Amstel Gold Race, a disputar no domingo, na Holanda, com 265,7 quilómetros entre Maastricht e Berg en Terblijt.