"A correr como correram hoje podiam estar no WorldTour"

"A correr como correram hoje podiam estar no WorldTour"

Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira) lamentou o facto de outras equipas não terem trabalhado para contrariar o ataque do W52-FC Porto. O italiano parte para o último dia da Volta na quarta posição, a 5m09s de Raúl Alarcón

Sobre a etapa: "Eu estava bem, hoje sentia-me em condições perfeitamente normais, mas eles [Alarcón e Antunes] estavam a outro nível. O [Alejandro] Marque foi um super-Marque, foi incansável a trabalhar. Não entendi o porquê de as outras equipas não terem trabalhado. Não sei para que raio correm, não entendo como ficam satisfeitas só por ter um ciclista no 'top 10' na maior prova da época."

Sobre Alarcón e Antunes: "Os dois da frente estavam noutra categoria. A correr como correram hoje podiam estar no WorldTour. Quanto mais nós trabalhávamos atrás, mais tempo perdíamos. Vou lutar para estar no pódio. Estar no pódio, para mim, já era bom, porque tenho quase 40 anos e esta é apenas a minha segunda Volta a Portugal."

W52-FC Porto mais forte: "Em condições normais, pensávamos [ele e os outros candidatos] que poderíamos recuperar tempo, porque ainda faltava muito para a meta, mas eles cada vez ganhavam mais distância. Hoje podemos dizer que eles são os mais fortes".