Giro termina neste domingo: eis as contas que João Almeida terá de fazer

Giro termina neste domingo: eis as contas que João Almeida terá de fazer
Carlos Flórido

Tópicos

Wilco Kelderman só durou um dia na liderança, pois a Ineos "derreteu" o holandês. João Almeida teve uma excelente equipa a lançá-lo para o quarto lugar em Sestriere e uma possível subida na geral

Este domingo, às 15h00, João Almeida vai partir para os 15,7 quilómetros do contrarrelógio de Milão apontado ao melhor resultado de sempre de um português na Volta a Itália e segundo melhor numa Grande Volta, depois dos pódios de Joaquim Agostinho.

O jovem da Deceuninck-Quick Step tem todas as condições para subir ao quarto lugar, ocupado pelo espanhol Pello Bilbao por uma diferença de 23 segundos. O terceiro posto está a 1m42s e será muito difícil de atingir, embora a quebra de ontem de Wilco Kelderman, que deixou o Giro em ebulição, não afaste por completo essa possibilidade.

A Volta a Itália, que teve uma última etapa de montanha acelerada pela Ineos, vai terminar de forma inédita. O australiano Jai Hindley foi segundo em Sestriere e herdou a camisola rosa do colega Kelderman, mas empatado em tempo com o britânico Tao Geoghegan Hart. João Almeida, atento ao desgaste dos Sunweb, beneficiou da tática da Deceuninck-Quick Step, que colocara vários corredores em fuga.

"Mostrámos porque somos a "Alcateia". O plano era tentar vencer a etapa com a fuga, tendo gente preparada para ajudar o João num final exigente. O Almeida provou de novo ser um lutador incrível e ganhou tempo na subida que pode ser vital em Milão", analisou Klaas Lodewyck, técnico da equipa belga, que na última das três subidas do dia viu o português, depois de ajudado pelos colegas, arrancar sozinho na perseguição a Hindley, Hart e a "locomotiva" de ambos, um inacreditável Rohan Dennis.

O português ainda ganhou 34 segundos a um Kelderman esgotado - e a Bilbao, que não fez melhor -, aumentando o entusiasmo para o crono final, no qual se prevê que seja o melhor entre o atual top 5.

Basta ganhar 2 segundos por quilómetro

Nos dois primeiros cronos do Giro (15,1 km em Palermo e 34,1 km em Valdobbiadene), João Almeida foi o melhor entre os da frente, e marcando diferenças. No mais curto, ganhou 2,4 segundos/km a Bilbao (37s no total) e, no segundo, 2,1 s/km (1m12s), o suficiente para subir a quarto. Quanto a Kelderman, tirou-lhe 1m02s no primeiro e apenas 16s no longo.