"Eu cheguei e limitei-me a sprintar nos últimos 150, 200 metros. De resto vim sentado no sofá..."

"Eu cheguei e limitei-me a sprintar nos últimos 150, 200 metros. De resto vim sentado no sofá..."
Redação

Tópicos

Declarações de João Matias (vencedor) no final da segunda etapa da 83.ª Volta a Portugal em bicicleta, disputada entre Badajoz, em Espanha, e Castelo Branco, no total de 181,5 quilómetros

Sobre a etapa: "Não digo desde Badajoz [que esperava ganhar hoje], mas digo desde que soube do percurso da Volta. A etapa de ontem [sexta-feira] e a de hoje foram as que tinha marcado - tanto eu como a equipa - o trabalho foi todo perfeito."

Sofá e sprint: "A vitória ontem falhou, porque tive um pequeno percalço, fui um bocado fechado a 150 metros da meta, no momento que ia arrancar para o "sprint" e acabei por fazer quarto. Toda a gente viu o trabalho que a minha equipa fez. Eu cheguei e limitei-me a sprintar nos últimos 150, 200 metros, de resto vim sentado no sofá o dia todo. A Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados é mesmo isto, é uma segunda família e estou extremamente grato pelo que têm feito por mim."

Sobre Gustavo Veloso: "Levo muitos anos no ciclismo, passei muitos maus bocados, estive quase a abandonar a modalidade, e tive muita gente que acreditou em mim. O Gustavo [Veloso], para mim, sempre foi um mentor, tenho a sorte de este ano estar a trabalhar diretamente com ele."

Família: "Ainda por cima, apareceu o meu pai e o meu irmão na chegada... Isto é para a minha família também. Como toda a gente viu o gesto que eu fiz, é para casa, especialmente para a minha mulher e para o meu futuro filho que vem aí, o meu Dinis, como levo marcado nos sapatos. São momentos especiais. Hoje e ontem [sexta-feira], durante a etapa, olhava para baixo e só me lembrava que tinha de vencer. Hoje era o dia."

O resto da Volta: "Não sei até onde posso ir. Sei lá. O sonho comanda a vida e felizmente tenho passado todas as adversidades e tenho gente que me apoia. Depois de começar o ano na Prova de Abertura, em que lancei o Leangel Linarez e ele venceu, depois foi a Volta ao Algarve com a camisola da montanha, que está longe de ser a minha especialidade, mas quem me conhece sabe o ciclista que sou. Sou muito combativo e gosto de me levar ao limite. Não tenho muitas palavras para dizer, estou num dia de sonho".