Diretor do Giro deixa aviso aos ciclistas: "Quando chegarmos a Milão alguém vai pagar"

Diretor do Giro deixa aviso aos ciclistas: "Quando chegarmos a Milão alguém vai pagar"
Redação

Tópicos

Mauro Vegni anunciou consequências para os ciclistas depois de se terem oposto a correr a etapa completa.

O diretor do Giro de Itália, Mauro Vegni, avisou esta sexta-feira que haverá consequências para os ciclistas, depois destes terem protestado e pedido para que a 19.ª etapa fosse encurtada.

"Não aceitamos a oferta dos ciclistas, nós é que sofremos. Isto aconteceu porque os ciclistas não se apresentaram na saída. Alguém pagará por isso", disse Vegni em declarações à RAI.

O diretor de corrida desmentiu que a conversa para encurtar a etapa tivesse começado ontem e apontou ao ciclista da Lotto Soudal, Adam Hansen, deixando ainda um aviso aos ciclistas: "Isto não acabou. Terminaremos a corrida e quando chegarmos a Milão, alguém vai pagar".

O diretor do Giro lembrou ainda que o traçado da etapa já era conhecido há um ano e que também se sabia que ao haver corrida em outubro se teria de correr com baixas temperaturas.

"O que aconteceu hoje estraga o nosso trabalho. Toda a gente sabe que o Giro ia acontecer em outubro e hoje estavam 13 ºC. Ouvi muitos ciclistas e muitos não estiveram de acordo. Já sabem como começou isto, uns poucos não quiseram correr e queriam descansar mais", finalizou.