Caso W52-FC Porto adia Grande Prémio do Douro Internacional

Caso W52-FC Porto adia Grande Prémio do Douro Internacional
Carlos Flórido

Tópicos

Global Media quer contar com os azuis e brancos e aguarda esclarecimentos sobre a investigação do Ministério Público. A corrida que se devia iniciar no dia 23 será entre 14 e 17 de julho, com cinco etapas, podendo ainda crescer se os portistas tiverem a sua situação clarificada e alinharem. Federação não os quer em competição.

O segundo Grande Prémio do Douro Internacional, que estava previsto realizar-se entre os próximos dias 23 e 29, foi adiado para julho, entre 14 e 17, por dificuldades relacionadas com a operação da Polícia Judiciária, que a 24 de abril passado revistou a equipa da W52-FC Porto, em busca de "substâncias ilícitas".

A Global Media, organizadora da corrida que na época passada se revelou um êxito e lançou para a ribalta o uruguaio Mauricio Moreira, da atual Glassdrive-Q8-Anicolor, começou por encontrar hesitações de algumas câmaras municipais.

"Compreensivelmente, não queriam ver o seu nome ligado a uma modalidade investigada por casos de dopagem", explicou-nos Vítor Cunha, diretor da organização. Esse impasse começou a ser ultrapassado a partir do momento em que se soube que as análises feitas aos corredores portistas tinham sido todas negativas e os seus passaportes biológicos não tinham irregularidades, não existindo neste momento um impedimento legal ao regresso da equipa, já sob a direção dos diretores-desportivos Jorge Henriques e Valter Sousa, contratados para substituir Nuno Ribeiro e José Rodrigues, que o Ministério Público proibiu de exercer funções. A W52-FC Porto irá mesmo regressar à competição já no próximo domingo, na Volta a Albergaria.

A organização começou, entretanto, a receber pressões ligadas à Federação Portuguesa de Ciclismo, para que não convide os dragões, as mesmas que já levaram o Grande Prémio de Torres Vedras a descartar a sua presença. "A melhor solução foi adiar a corrida até que tudo esteja mais esclarecido. Não havendo um impedimento legal, queremos contar com a W52-FC Porto", garantiu-nos Vítor Cunha, que com as novas datas admite até ir além das cinco etapas por enquanto previstas.